São Paulo, domingo, 18 de junho de 2006

Texto Anterior | Próximo Texto | Índice

Japão x Croácia testa ineficácia

Precisando ganhar após derrota na estréia, rivais se notabilizam até agora por debilidade ofensiva

Zico muda time japonês para melhorar ataque, o que menos acerta finalizações, e croatas apostam em jogada pelo alto, mas cruzam mal

RODRIGO BUENO
ENVIADO ESPECIAL A KAISERSLAUTERN

RODRIGO MATTOS
DA REPORTAGEM LOCAL

Dois dos piores ataques da Copa terão a obrigação de fazer gols para se manter com chances de avançar aos mata-matas. Esse é um resumo de Japão x Croácia, hoje, em Nuremberg.
A falta de produtividade dos setores ofensivos provocou mudanças de atitude em ambos os times. No Japão, cartolas pressionaram, e Zico escalará o time para a frente. Entre os croatas, sem o temor do Brasil, a equipe se lançará ao ataque. Um empate deixará os dois times em desvantagem na rodada final do Grupo F por vaga nas oitavas-de-final.
Só assim para tentar melhorar o rendimento das estréias. Cada um dos times finalizou 11 vezes, o que os deixa na 19 posição, segundo o Datafolha. O que assusta é o aproveitamento: o Japão só acertou 18,2% de suas conclusões, o pior desempenho da Copa. Já os croatas tiveram 27,3% de precisão -estão em 24. Os japoneses ao menos marcaram um gol, já a Croácia passou em branco.
Ambos os times têm sido ineficientes nos fundamentos que levam ao gol. O Japão acertou só 7,1% dos cruzamentos, contra 10% do rival, dois dos quatro piores aproveitamentos.
Em média, as duas equipes também estão entre as que mais perderam bolas. O Japão desperdiçou 49 lances no primeiro jogo, o segundo pior índice. O rival vem a seguir, com 36 bolas. Em outros fundamentos, como assistências e lançamentos, os oponentes também estão longe de ter destaque.
Esse foi o motivo que levou Zico a escalar o meia Ogasawara, que será responsável por dar criatividade ao time. Embora tenha negado pressão de cartolas, o treinador tomou a atitude após críticas do presidente da federação, Saburo Kawaguchi, que pedia o Japão no ataque. "Precisamos chutar mais a gol", disse Osgasawara.
Do lado croata, os números desfavoráveis do primeiro jogo não parecem convencer o técnico Zlatko Kranjcar de que precisa aumentar a produtividade do ataque. Mas ele admitiu que o desempenho nas finalizações precisa melhorar.
"Dado Prso jogou bem e teve muitas chances para marcar. Estou convencido de que vai aproveitar melhor", afirmou.
Também terá de aprimorar os cruzamentos, pois quer apostar no jogo aéreo por ter atletas mais fortes que os japoneses. "Não há nada de errado com o físico de nossos jogadores", defendeu-se Zico.

NA TV - Japão x Croácia Globo, Bandsport, ESPN Brasil, Sportv e Directv, ao vivo, às 10h


Texto Anterior: Juca Kfouri: Canguru ou zebra?
Próximo Texto: Estatística: Asiáticos vão ter que superar tabus no jogo
Índice



Copyright Empresa Folha da Manhã S/A. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folhapress.