São Paulo, domingo, 22 de outubro de 2006

Texto Anterior | Próximo Texto | Índice

Leão desafia a fidelidade dos torcedores

DA REPORTAGEM LOCAL

Torcedores do Corinthians foram a Jarinu cobrar Leão e os jogadores. O treinador deu o troco. Desafiou a fidelidade dos fãs. "Não falam que a torcida corintiana é a mais vibrante, a que mais ajuda? Quero ver", desafiou o treinador, num gesto em que, na verdade, pede paciência ao time no Pacaembu.
Os corintianos têm feito sua parte no Brasileiro. Mesmo com a equipe na 17 posição, com apenas 32 pontos, o clube tem média de 15,6 mil torcedores, a quarta melhor da competição. Superior até à do líder São Paulo -média de 15,4 mil pagantes por partida.
O problema é que o time, em casa, tem campanha ridícula. Dos 14 confrontos em seus domínios, os corintianos perderam sete, ganharam cinco e empataram os outros dois.
"Os números são desfavoráveis, mas não podemos correr do nosso público, a quem devemos satisfação e respeito", disse Leão, que espera um Pacaembu lotado hoje.
A Gaviões da Fiel, que pediu união, promete apoiar a equipe. Dependendo do resultado, porém, a trégua vai para o espaço.
O Corinthians hoje deve atuar no 4-4-2, com Betão de volta à zaga ao lado de Marinho. Marcelo também deve retornar ao gol. No Cruzeiro, sem Luizão e Wagner, contundidos, o técnico Oswaldo de Oliveira será obrigado a mudar o esquema de sua equipe. Adepto do 3-5-2, o treinador admite que vai escalar o time no 4-4-2. (EAR)


Texto Anterior: estatística: Ataque tenta se livrar de seca de gols
Próximo Texto: Frase
Índice



Copyright Empresa Folha da Manhã S/A. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folhapress.