São Paulo, segunda-feira, 09 de julho de 2007

Texto Anterior | Próximo Texto | Índice

02 Neurônio

>>Jô Hallack >>Nina Lemos >>Raq Affonso - 02neuronio@uol.com.br

Dia do Cabelo Roubado

Força na peruca! (se roubarem, você compra outra) NÃO EXISTE O Dia do Cabelo Ruim? Aquele dia em que você acorda com um cabelo péssimo, com uma cara de espantalho e que nem chapinha resolve o seu problema? Pois é. Mas pior do que isso só o Dia do Cabelo Roubado. Isso acontecia muito quando éramos adolescentes no Rio. Naquela época, as gangues roubavam cabelos (menos mal do que as gangues cariocas atuais, que espancam mulheres no ponto de ônibus). A gente sempre ouvia histórias escabrosas de mulheres que tiveram seus cabelos rapelados para serem vendidos para os salões que fazem interlace.
Mas recentemente, na cidade de Araraquara, interior de São Paulo, uma dupla roubou o cabelo de uma jovem evangélica que nunca havia sido cortado. Os assaltantes levaram quase um metro de cabelo, e a jovem teve que consultar um psicólogo para se refazer do trauma. Só que a polícia conseguiu prender a dupla que cometeu tamanho ato de crueldade, e um dos assaltantes comentou: "Pegamos a primeira pessoa que passou com um cabelão".
O Dia do Cabelo Ruim, como dizem os gringos, serve de metáfora para os dias horríveis em geral e virou gíria. "Ah, ontem eu tava com o cabelo ruim." Sim, até o Gianecchini já usou essa expressão durante uma entrevista para explicar os seus dias de mau humor. Agora, como seria um Dia do Cabelo Roubado? O do Cabelo Ruim, a gente sabe, acontece quando o cabelo tá ruim, a gente não cabe muito dentro do nosso próprio corpo e tudo sai errado: do PC que dá pau até o pretê que dá bolo.
Já um Dia do Cabelo Roubado... seria aquele em que a sua mãe humilha você logo pela manhã num surto de perversidade gratuita, você resolve se esquecer disso ligando para um menino e descobre que ele está com outra e não quer mais saber de você. Aí você resolve fazer compras, e, quando sai da loja arrasada porque o seu cartão de crédito foi bloqueado (pela sua mãe), passa uma pessoa sinistra na rua, agarra você pelo pulso e... rouba o seu cabelo! Não, não merecemos passar por essas situações.
E, apesar de saber que dias do cabelo roubado acontecem (metaforicamente falando) não desejamos que vocês tenham um deles. Mas, pelo menos, quando tudo der errado, depois de chorar ouvindo "Everybody Hurts" (do R.E.M.), pelo menos você pode pensar, antes de dormir, "tudo bem, foi só um Dia do Cabelo Roubado".

Momento de histeria

Força na peruca! (se roubarem, você compra outra)


Texto Anterior: Balada: Arrasta-pé para poucos
Próximo Texto: Animação: Terror assombra 15 Anima Mundi
Índice



Copyright Empresa Folha da Manhã S/A. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folhapress.