São Paulo, segunda-feira, 09 de julho de 2007

Texto Anterior | Próximo Texto | Índice

diversão

Férias em São Paulo a R$ 10

É baratinho curtir a maior cidade do Brasil: siga os roteiros que o Folhateen separou para você

RAFAEL TARGINO
COLABORAÇÃO PARA A FOLHA

Você já deve ter passado por isso: um amigo liga e pergunta o que você planeja para as férias. Sua resposta é: "Não vai dar pra fazer nada. A grana está acabando". Resultado: um mês de julho na companhia da TV só pensando no quanto o seu amigo está se divertindo.
Mas, se você ainda tem R$ 10, há uma esperança. O Folhateen saiu pela cidade e descobriu que é possível arranjar diversão com uma nota só. E, para facilitar a sua vida, fez sete sugestões de roteiros -um para cada dia da semana.
Há desde programas culturais (como uma ida ao circuito Museu da Língua Portuguesa-Pinacoteca, na região da Luz) até passeio de bicicleta no parque Ibirapuera. Entre eventos grátis e de baixo custo, sobra até dinheiro para um lanche rápido e para a viagem de metrô.
A estudante Stéphanie de Camargo, 12, trouxe da Paraíba a amiga Luana Faria, 13, para conhecer o Museu da Língua. Para ela, é um dos lugares mais interessantes (e baratos) da cidade. "Mas é difícil fazer qualquer programa em São Paulo sem muito dinheiro. Aqui, dez reais é muito pouco", diz Stéphanie. Ela conta que, em Joinville (SC) -cidade de onde vem -, com R$ 10 dá para ir ao cinema e ainda sobra.

Quase de graça
Nesta semana, começa o Anima Mundi, na Barra Funda. Com R$ 3 (preço de meia-entrada), é possível ver uma das sessões de cinema no Memorial da América Latina -além de todos os eventos do festival.
Quem quiser uma opção light pode fazer como Renan Góes, 18: alugar uma bicicleta em um dos quiosques do Ibirapuera, por R$ 3. E ainda dá para comer algo na lanchonete sob a marquise por menos de R$ 5.
O estudante de direito Bruno Martins, 19, é um dos adeptos da modalidade "baixo custo" de diversão. Ele dificilmente deixa de sair nas férias, até mesmo quando a grana fica curta. "Se for na quarta, o cinema é mais em conta. Dá até pra ir a duas sessões", explica.
Em boa parte dos cinemas da cidade, quarta é o dia do ingresso mais barato. Dá para ver por R$ 4 (meia-entrada) um filme que, na sexta, você não veria por menos de R$ 9.

De graça
Programas pagos podem sair de graça, dependendo do dia. Quem vai ao Masp na segunda não paga nada, por exemplo. O mesmo acontece na Pinacoteca. No sábado, a visita ao espaço e ao seu anexo (a Estação Pinacoteca) são de graça. Nos outros dias da semana, a meia-entrada sai por R$ 2.
Perto dali, é possível passar um tempo observando a cidade do alto. No prédio do Banespa, na rua João Brícola, dá para subir até o último andar e ter uma visão panorâmica de São Paulo. Quanto custa? Nada.
A estudante Flávia Sousa, 16, recomenda um programa em que só se gasta a sola do sapato: "bater perna" pelo shopping. Ela estava com mais dois amigos, os também estudantes Leandro dos Santos, 16, e Karoline Ferreira, 14, na galeria do rock olhando as vitrines das lojas. "Dez reais é o dinheiro com que a gente sai de casa", diz Karoline. "É o que dá para fazer."


Texto Anterior: Animação: Terror assombra 15 Anima Mundi
Próximo Texto: Veja o roteiro completo de férias a R$ 10 por dia em SP
Índice



Copyright Empresa Folha da Manhã S/A. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folhapress.