São Paulo, domingo, 05 de dezembro de 2010

Texto Anterior | Próximo Texto | Índice | Comunicar Erros

Brasileiros quitam imóvel antes do prazo

DE SÃO PAULO

Apesar de os bancos oferecerem financiamentos imobiliários por um prazo de até 30 anos, o período contratado tem chegado, na média, a duas décadas. E o mutuário paga em ainda menos tempo: oito anos, de acordo com a Abecip (Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança).
"É muito comum as pessoas irem amortizando [a dívida] quando recebem o 13º salário, com o FGTS e ao melhorarem de vida, afirma Jorge Hereda, vice-presidente de governo da Caixa.
Na Caixa, o prazo médio de contratação com recursos da poupança é de 19 anos, mas, na média, o pagamento é feito em 13 anos e 9 meses.
Luiz Antônio França, presidente da Abecip, destaca que amortizar o saldo devedor a cada dois anos com o FGTS -intervalo mínimo exigido- é mais vantajoso do que deixar o dinheiro no fundo, que rende 3% ao ano mais TR (Taxa Referencial).
Neste ano, até outubro, foram feitos 812,2 mil saques do FGTS para a moradia, totalizando R$ 5,73 bilhões, 24,5% a mais que em 2009.
Para Ana Maria Castelo, coordenadora de projetos da construção da FGV, o Brasil "vive uma situação tranquila", distante da dos Estados Unidos antes da crise de 2008, quando não era preciso dar entrada para ter uma moradia e podia-se hipotecar o mesmo imóvel mais de uma vez para comprar bens de consumo.(TR)



Texto Anterior: Parcela financiada de imóveis sobe para 62% do total
Próximo Texto: Fábio Barbosa: O papel dos bancos
Índice | Comunicar Erros



Copyright Empresa Folha da Manhã S/A. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folhapress.