São Paulo, segunda-feira, 04 de maio de 2009

Texto Anterior | Próximo Texto | Índice

Editoriais

editoriais@uol.com.br

Fura-Fila repaginado

A REFORMULAÇÃO do trecho final do Expresso Tiradentes, recém-anunciada pelo governador José Serra (PSDB) e pelo prefeito Gilberto Kassab (DEM), traz pelo menos uma grande notícia para o paulistano. Enterra definitivamente a concepção inicial do Fura-Fila, um caso exemplar de desperdício de dinheiro público e desprezo pelo planejamento na expansão do transporte público.
O último segmento da obra, anunciou-se agora, será um Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), ou metrô leve, que vai ligar a futura estação Vila Prudente do metrô (linha 2-verde) até Cidade Tiradentes, na zona leste. Ainda que essa modalidade de transporte seja inédita na cidade, já parece de antemão mais adequada que o antigo projeto.
Primeiro, o trajeto será mais rápido. Foi descartada a ideia de um corredor de ônibus que cruzaria 25 semáforos. O VLT deve correr em vias elevadas. Segundo, poderá transportar mais pessoas. Se fosse construído na concepção original, o novo ramal chegaria à zona leste já saturado pela expansão da demanda.
O novo trecho, além disso, evitará uma superposição parcial com a expansão da linha 2-verde do metrô. Segundo as autoridades, por ter grande capacidade de transporte, poderá substituir o ramal Oratório do metrô -que deixará de ser implantado.
Todo o cuidado é pouco quando se trata de anúncios espetaculares ligados ao Fura-Fila -a conclusão do trecho inicial, de 12,8 km, está prevista para coincidir com as eleições de 2010.
Mas a mudança no projeto é bem-vinda. Depois de ter consumido R$ 950 milhões em 11 anos e 8,7 km iniciais (suficientes para 5 km de metrô), os 22,3 km restantes do Expresso Tiradentes podem encerrar com mais racionalidade um capítulo lamentável da história do transporte público paulistano.


Texto Anterior: Editoriais: Cem dias na crise
Próximo Texto: São Paulo - Fernando De Barros e Silva: O Novo Estado de Lula
Índice



Copyright Empresa Folha da Manhã S/A. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folhapress.