Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
04/08/2012 - 04h01

Caetano Veloso chega aos 70 anos como o maior nome da MPB

Publicidade

DE SÃO PAULO

A poucos dias de completar 70 anos --na próxima terça (7)--, Caetano Veloso divide com Chico Buarque, 68, a posição de artista vivo mais importante da MPB. Essa é a opinião de 70 jovens artistas entrevistados em uma enquete promovida pela Folha.

Cidade que viu o despertar artístico de Caetano ficou só na lembrança
Diálogo com nova cena é trunfo de Caetano Veloso

A consulta foi feita com músicos, escritores, diretores de cinema e de teatro, apresentadores e atores de TV e artistas plásticos, todos com até 40 anos.

Citado por artistas de todas as áreas, Caetano não chega à maioria absoluta em nenhum grupo. A relevância de sua produção contemporânea, porém, é tida quase como unanimidade --atestada por 95% dos entrevistados.

"Caetano teve um impacto enorme na minha formação. A potência da obra dele não diminui com o tempo", diz a artista plástica Renata Lucas, 40. "Cada vez que a escuto é uma redescoberta maravilhosa."

"Ele não se acomoda, é inquieto. Transita por todos os estilos", diz a apresentadora Fernanda Lima, 35.

O posicionamento político de Caetano repercute na opinião pública para 81% desses artistas, ainda que boa parte deles questione sua eficácia.

"Tudo o que o Caetano diz e escreve chama a atenção de um certo grupo de pessoas. Aquela turminha do café da manhã com suco de laranja, torrada light e jornal", diz a escritora Cecília Giannetti, 35. "O peso, se vai valer ou não a posição que ele quer validar, já se incute no debate com a própria grita que causa. É um bom truque", diz.

Daniel Marenco-28.fev.2012/Folhapress
O músico baiano Caetano Veloso, que completa 70 anos na próxima terça (7)
O músico baiano Caetano Veloso, que completa 70 anos na próxima terça (7)

Entre os que discordam de sua influência está o artista plástico Marcelo Cidade, 34, que apontou Mano Brown como o grande nome da MPB. "Acho que Caetano já teve importante participação política, mas hoje é um instrumento da indústria musical."

As indicações sonoras de Caetano, que já recomendou, entre outros, os cantores Maria Gadú, Tiê e Pedro Miranda, chamam a atenção de 60% dos participantes.
"De Virgínia Rodrigues a Criolo, sempre estou atenta ao que ele indica", exemplifica a atriz Taís Araújo, 33.

Procurado para comentar a enquete, Caetano, por meio de sua ex-mulher e empresária, Paula Lavigne, informou que não dará entrevistas, pois "não quer transformar seus 70 em um evento".

A Folha aproveitou a data para ir à cidade onde o cantor e compositor nasceu, Santo Amaro (BA), e traçar o perfil do artista quando jovem.

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página