Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
22/08/2012 - 19h12

Servidores da Biblioteca Nacional protestam contra degradação do imóvel

Publicidade

DE SÃO PAULO

Um grupo de quase cem pessoas, a maioria de servidores públicos, se reuniu na manhã desta quarta-feira (22) para protestar contra problemas estruturais no prédio da Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro. Entre os problemas apontados pelo grupo estão rachaduras, pragas e infiltrações.

Durante o ato, manifestantes distribuíram capacetes de bombeiro para os presentes a fim de simbolizar que o local está "caindo aos pedaços".

O grupo também fez um mural com fotos dos problemas relatados, como um "rato abatido no dia 6 de agosto" e um "pedaço de reboco despencado da fachada" do prédio.

Em tom irônico, os manifestantes ainda cantaram "Parabéns" para o "aniversário" de pragas que infestam o prédio da Biblioteca Nacional, de "promessas não cumpridas" e da "falta de transparência e de informações sobre os problemas e soluções tomadas (ou não) pela gestão".

Em maio passado, a Biblioteca Nacional informou que seu prédio-sede teve o terceiro vazamento de água por conta de um defeito em um aparelho de ar condicionado, todos ocorridos neste ano.

Segundo o órgão, em um dos incidentes foram atingidos 2.042 jornais e revistas foram atingidos. O material precisou passar por um processo de secagem e higienização.

OUTRO LADO

Em nota sobre a manifestação organizada nesta quarta pelos servidores, a Fundação Biblioteca Nacional afirmou que "nestes últimos 18 meses, período que compreende a atual gestão, muito tem sido feito para modernização, revitalização e conservação dos prédios que estão sob coordenação da fundação".

O documento enumera algumas ações tomadas para sanar os problemas estruturais do imóvel, como a realização de um pregão para contratar uma empresa para criar um projeto de modernização das instalações elétricas do prédio, restauro do sistema de ar condicionado e instalação de um sistema de detecção de incêndio.

Há ainda um projeto de restauro da fachada do imóvel que está em análise no Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional).

Ainda segundo a nota, a Fundação Biblioteca Nacional afirma que é regida por uma legislação que busca assegurar transparência e eficiência e que, muitas vezes, acaba dificultando a agilidade dos processos.

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página