Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
09/02/2013 - 07h10

Livros nacionais clássicos ganham versão em game

Publicidade

MARCO RODRIGO ALMEIDA
DE SÃO PAULO

Os pais inconformados com o tempo que os filhos gastam na frente do videogame terão agora que pensar duas vezes antes de dar bronca.

Pode ser que os filhos, enquanto jogam, estejam ajudando Leonardo a fugir do temido major Vidigal, ou, tal qual João Romão, queiram construir um cortiço, ou mesmo tentem descobrir se Capitu, afinal, era ou não fiel.

As situações citadas fazem parte, respectivamente, das tramas de "Memórias de um Sargento de Milícias" (1852), de Manuel Antônio de Almeida, "O Cortiço" (1890), de Aluísio Azevedo, e "Dom Casmurro" (1899), de Machado de Assis.

Reprodução
Imagem do jogo inspirado no livro "O Cortiço"
Imagem do jogo inspirado no livro "O Cortiço"

Três das principais obras da literatura brasileira, elas foram transformadas em jogos on-line pelo projeto "Livro e Game", que pode ser acessado pelo site de mesmo nome (www.livroegame.com.br).

O projeto, financiado pela Fundação Telefônica, foi criado pelo gestor cultural Celso Santiago.

"Queremos mostrar que esses livros não são uma coisa chata que os alunos são obrigados a ler. Eles estão vivos, podem transformar a vida do leitor", conta Santiago.

"Memórias de um Sargento de Milícias", o mais leve e divertido dos três livros, foi o que rendeu mais jogos. São dez etapas ao todo, que perpassam toda a história do livro.

O jogador/leitor tem que ajudar o malandro protagonista, por exemplo, a escapar da palmatória na escola e a conquistar o amor de Luisinha.

Em "O Cortiço" o desafio é equilibrar o orçamento para montar uma vila com materiais de qualidade. Já "Dom Casmurro" traz quebra-cabeças e labirintos que refletem a ambiguidade dos personagens.

Em todos há trechos dos livros, textos que comentam as obras e as vidas dos autores.

Entre os dias 25/2 e 31/3, Santiago vai promover um curso voltado a professores, para estimulá-los a usar o site nas salas de aula. As inscrições podem ser feitas pelo site.

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página