DA REUTERS

A audiência na TV norte-americana da premiação do Grammy, neste domingo (28) pela rede CBS caiu em mais de seis milhões de espectadores, segundo a CBS, após uma apresentação criticada por piadas políticas e vitórias do Bruno Mars sobre o rapper Kendrick Lamar.

Citando dados da Nielsen, a CBS informou que 19,8 milhões de norte-americanos assistiram à transmissão de três horas e meia na TV, em relação às 26,1 milhões de pessoas que assistiram à premiação de 2017 na TV.

A menor audiência de uma cerimônia do Grammy foi em 2006, com 17 milhões de espectadores.

A 60ª edição do Grammy, realizada em Nova York, contou com o cantor de R&B Bruno Mars ganhando os três principais prêmios —álbum, gravação e música do ano— e três outras estatuetas. Lamar ganhou cinco e o rapper veterano Jay-Z, que chegou à premiação com oito indicações, não ganhou nada.

A premiação recebeu, no geral, críticas ruins. O jornal USA Today chamou o Grammy de "constrangimento fora da realidade", enquanto o apresentador James Corden foi criticado nas redes sociais por piadas ruins e por uma performance sem brilho.

Algumas das maiores estrelas da música, incluindo Taylor Swift, Ed Sheeran e Beyoncé não foram indicadas ou não se apresentaram, e algumas das piadas sobre o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e suas políticas aparentam ter afastado alguns espectadores.

Um dos momentos mais comentados aconteceu no final da transmissão, quando a ex-candidata presidencial democrata Hillary Clinton, ao lado dos músicos Cher, Cardi B. e Snoop Dogg, leu trechos do livro "Fogo e Fúria", de Michael Wolff sobre o primeiro ano de Trump na presidência.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.