Campanha #MeToo levou a 'caça às bruxas', diz Michael Haneke

São Paulo

A campanha #MeToo, direcionada contra o assédio a mulheres, instigou uma "caça às bruxas" na indústria cinematográfica, segundo o cineasta austríaco Michael Haneke. 

O diretor de "A Professora de Piano" e "A Fita Branca", conhecido por explorar a violência e a crueldade humana em seus filmes, se juntou ao coro de personalidades como Catherine Deneuve, que criticaram os protestos contra assédio sexual.

O diretor Michael Haneke no Festival de Cannes de 2017
O diretor Michael Haneke no Festival de Cannes de 2017 - Loic Venance/ AFP

"Esse novo puritanismo tingido de ódio aos homens, que vem na esteira do movimento #MeToo, me preocupa", disse ele, em entrevista ao jornal "Kurier", de Viena. Segundo ele, trata-se de uma "cruzada contra toda forma de erotismo". 

Haneke ressalva, todavia, que crê que todo ato de violência sexual deve ser punido. Mas "a caça às bruxas deve ficar na Idade Média", disse ele, que criticou a decisão de apagar o trabalho de atores acusados de assédio, como Kevin  Spacey, de filmes já prontos.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.