Coordenador de dublês fala sobre acidente envolvendo Uma Thurman em 'Kill Bill'

Keith Adams diz não ter sido informado sobre gravações de cena na qual atriz precisou pilotar carro em alta velocidade

São Paulo

O coordenador de dublês do filme "Kill Bill", dirigido por Quentin Tarantino em 2003, falou pela primeira vez sobre o acidente envolvendo a atriz Uma Thurman durante as gravações do longa.

Em entrevista à publicação americana "Hollywood Reporter", Keith  Adams disse que ele e toda a equipe de dublês estavam fora do set no dia em que a atriz se acidentou.

"Em nenhum momento eu fui informado ou consultado sobre Uma Thurman dirigir um carro para as filmagens naquele dia", revelou.

​Adams ainda disse que, se estivesse envolvido no episódio, teria insistido para que um piloto profissional gravasse a cena.

Em entrevista ao jornal "New York Times", Thurman acusou Harvey  Weinstein, produtor de "Kill  Bill", de assédio e disse ainda que foi forçada por Tarantino a dirigir em alta velocidade para uma certa cena do filme.

Ela compartilhou um vídeo da época, cedido recentemente por Tarantino, que mostra que a cena acabou terminando num acidente. Thurman diz ter sofrido uma lesão e que as dores perduram até hoje.

Segundo a atriz afirmou ao jornal, ela manifestou à equipe seu desconforto em conduzir o carro e que preferia que um dublê o fizesse. Tarantino, contudo, teria ficado furioso.

Ao portal americano "Deadline", o diretor insiste que não se enfureceu com Thurman e explica que ele mesmo havia testado a estrada antes de permitir que a atriz fizesse o trajeto. Ele informa, contudo, que se arrependeu de ter feito a rota no sentido contrário ao que foi de fato usado nas filmagens.

"Ela acreditava em mim. Eu disse que tudo daria certo, que a estrada era uma linha reta", afirmou o diretor. "Eu disse que seria seguro. E não foi. Eu estava errado."

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.