Descrição de chapéu música teatro

Após tragédia no Paissandu, sem-teto fazem Virada alternativa

Evento quer combater criminalização de movimentos de luta por moradia

Hildeberto Jr.

A poucos metros dos palcos da Virada Cultural e do Largo do Paissandu, local do desabamento do prédio ocupado pelo Movimento de Luta Social por Moradia (MLSM), é realizada na rua Álvaro de Carvalho, neste domingo (20), a Virada da Ocupação do Movimento Sem Teto do Centro (MSTC).

O evento, paralelo ao oficial organizado pela prefeitura de São Paulo, é um ato de apoio aos movimentos sociedade de luta por moradia da capital paulista

Cozinheiros voluntários preparam feijoada na Virada da Ocupação 9 de Julho
Cozinheiros voluntários preparam feijoada na Virada da Ocupação 9 de Julho - Marlene Bergamo/Folhapress

“Os movimentos sociais de moradia estão sendo brutalmente criminalizados pela mídia tradicional após a tragédia do Largo Paissandu. Então, o MSTC e a Frente Única de Moradia decidiram fazer esse evento paralelo no dia da Virada Cultural com intuito de possibilitar que as pessoas vejam com seus próprios olhos para como funciona uma ocupação organizada de forma legítima, diz a assessora de imprensa da MSTC, Kátia Passos.  

A programação do evento conta com uma feijoada feita por chefs, exposições, shows com músicos como Ana Cañas e uma visita guiada pela ocupação.

 
Oficinas de faixas na Virada da Ocupação 9 de Julho - Marlene Bergamo/Folhapress

Dezenas de pessoas encaravam uma fila para participar da feijoada. A atriz Vanessa Rodrigues e seus amigos deram uma pausa na programação da Virada Cultural para almoçar na Ocupação. “Acho que estão aproveitando essa tragédia no Paissandu para criminalizar os movimentos de luta por moradia, por isso viemos apoiar", disse Vanessa.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.