Descrição de chapéu
Moda

Baile Met Gala enterra proposta de exaltar bom gosto com verniz profano

Sobraram acessórios que remetiam à imagem dos santos e anjos descritos na bíblia

Pedro Diniz
São Paulo

Daí você é convidado para a festa mais “fashion” do ano. Com que roupa ir? Segundo as convidadas do Met Gala 2018, bastam halo, vestido bordado e véu, arandela ou coroa na cabeça e o look santificado está pronto para o flash. 

As convidadas do baile que abriu a mostra anual de vestuário no Metropolitan Museum, em Nova York, caíram na maioria dos lugares-comuns possíveis dentro do tema da exposição “Heavenly Bodies”, cuja ideia é destrinchar a relação entre a moda e o catolicismo.

Sobraram acessórios que remetiam à imagem dos santos e anjos descritos na bíblia, mas o velho combo saia bolo com estampa floral enterrou o que deveria ser uma exaltação ao bom gosto com verniz de profanação.

Corretas, as modelos Gisele, Gigi Hadid e Kendall Jenner, a socialite Kim Kardashian e a cantora Karen Elson esnobaram o tema e preferiram a segurança do look “antimeme”: fendas, brilhos e monocromia, típicos dos longos dos tapetes vermelhos do cinema.

Quem virou meme, mas pelo menos arriscou, foi Rihanna, que trajada com conjunto de vestido, capa e mitra forrados com pérolas e cristais da Maison Margiela, se transformou na segunda papisa da história —fala-se que a primeira, Joana, teria reinado no século 9.

Outra Joana, a D’Arc, também cruzou o tapete bege. A rapper Zendaya vestiu a armadura prateada com o longo, entrando no clima da festa.

Festa que parece mas não é à fantasia, como esqueceu Katy Perry ao bater as asas Victoria’s Secret combinadas a um vestido de crochê dourado e botas da mesma cor. 

A graça do Met Gala é encontrar um meio-termo entre o glamour e o absurdo —como fez a cantora Janelle Monáe, de vestido Marc Jacobs com ombreiras anos 1980 arrematado com um chapéu-halo e uma touca de correntes. 

Madonna, por sua vez, habituada ao estilo Like a Prayer, foi com o amigo Jean Paul Gaultier, autor do vestido com decote em cruz da rainha do pop. 

A coroa, pelo menos no caso dela, fez mais sentido do que a da atriz Sarah Jessica Parker, esmagada embaixo de um lampião pregado na cabeça. 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.