Atrizes acusam diretor chileno Nicolás López de assédio sexual

Cineasta teve o filme 'Aftershock' lançado no Brasil, em 2013

Santiago | AFP

​O  diretor de cinema chileno Nicolás López foi acusado de assédio sexual e de fazer propostas indevidas por oito atrizes e modelos que o denunciaram em uma reportagem publicada neste sábado (30) em uma revista local.

López foi acusado de convocar mulheres para castings ou reuniões de trabalho, em sua produtora ou em sua casa, onde lhes propunha relações sexuais em troca de trabalho.

"Projetou em uma telona um vídeo de uma famosa chilena fazendo sexo com ele. Diante do meu olhar de choque me explicou que todas as atrizes tinham de fazer esse tipo de coisa para provar que eram boas", denunciou a atriz e jornalista Daniela Ginestar, na revista Sábado, do jornal El Mercurio.

Daniela contou que o diretor, de 35 anos, também se "masturbou" na frente dela.

"Tive a reação de fugir, mas ele me disse que, se eu me chocava com essas coisas, então devia me dedicar a uma outra coisa", acrescentou.

Outras atrizes o acusaram de forçá-las a beijá-lo e de fazer propostas sexuais durante festivais de cinema, festas ou até reuniões de trabalho.

"Achei que fôssemos apenas falar de trabalho, mas a situação acabou sendo realmente incômoda. Me perguntou, literalmente, se  podia agarrar meu peito", contou a atriz e modelo Josefina Montaner, descrevendo uma reunião com López em Santiago há quatro anos.

López negou os fatos e disse que "há muitas brincadeiras, coisas que alguém disse. "Sou solteiro e vivi diferentes situações, mas nenhuma que se possa dizer que seja grave, ou criminosa, felizmente."

Entre os filmes de López estão "No Estoy Loca" (2018) e "Hazlo como Hombre" (2017), além de "Aftershock" (2012), que foi lançado no Brasil em 2013.  

ASSÉDIO EM HOLLYWOOD

Confira a seguir um resumo sobre os principais casos de assédio sexual e estupro em Hollywood reportados recentemente.

Harvey Weinstein
No caso que foi o estopim para a avalanche de acusações em Hollywood, o outrora poderoso produtor de 66 anos é acusado de ter assediado e estuprado mulheres ao longo de três décadas. Entre as vítimas estão Angelina Jolie, Ashley Judd e Gwyneth Paltrow. Bob Weinstein, irmão de Harvey, também foi acusado de assédio.

James Toback
Segundo o Los Angeles Times, mais de 30 mulheres denunciaram o diretor e roteirista de 72 anos de cometer assédio sexual. Autor da reportagem, Glenn Whipp disse ter sido contatado por 193 mulheres com acusações semelhantes contra Toback, autor do roteiro de filmes como "Bugsy" e "O Apostador".

Roman Polanski
Além de ter estuprado uma garota de 13 anos em 1977, o cineasta franco-polonês de 84 anos também é alvo de, pelo menos, outras quatro acusações contra mulheres menores de idade, entre elas a atriz Charlotte Lewis. Em Paris, uma retrospectiva de sua obra foi alvo de críticas por um grupo feminista.

Dustin Hoffman
O ator que tem hoje 80 anos é acusado de ter assediado sexualmente a escritora Anna Graham Hunter, então com 17 anos, no set do telefilme "A Morte de um Caixeiro-Viajante", em 1985. Ele teria falado de sexo para ela e a apalpado. Hoffman se desculpou e disse que aquilo não "reflete" quem ele é.

Brett Ratner
A atriz Natasha Henstridge diz ter sido forçada a fazer sexo oral no diretor de "A Hora do Rush" e "X-Men: O Confronto Final" nos anos 1990. Além dela, outras atrizes e modelos, como Olivia Munn e Jaime Ray Newman, também relatam casos semelhantes envolvendo ele. Rattner, 48, nega as acusações.

Ed Westwick
O ator conhecido por "Gossip Girl" foi acusado de estupro por Kristina Cohen e Aurélie Wynn. Ele nega. A polícia de Los Angeles abriu investigação sobre o primeiro caso. Com isso, a BBC suspendeu a exibição "Ordeal by Innocence". As gravações já iniciadas da segunda temporada de "White Gold", da Netflix, também foram suspensas.

Morgan Freeman
Uma assistente de produção acusou o ator de comportamento sexual abusivo durante as gravações de “Despedida em Grande Estilo” (2017). A assistente acusa o ator de ter colocado as costas das mãos em sua perna e diz que ele também teria tentado levantar sua saia. Segundo a CNN, outras acusações contra Freeman foram relatadas –16 pessoas foram ouvidas, oito das quais se disseram vítimas.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.