Augusto Nunes diz que deixou Roda Viva após pressão política

Críticas ao programa foram feitas durante entrevista do jornalista em canal do YouTube

Augusto Nunes, que foi âncora do programa Roda Viva até março deste ano
Augusto Nunes, que foi âncora do programa Roda Viva até março deste ano - Divulgação
Gustavo Fioratti
São Paulo

Na mesma noite em que o Roda Viva conquistou sua segundo melhor audiência do ano, o programa da TV Cultura foi criticado pelo jornalista Augusto Nunes, que o ancorou até março deste ano.

Segundo Nunes disse ao programa Pingue-Pongue com Bonfá, exibido no YouTube e comandado por Marcelo Bonfá, o conselho do Roda Viva pressionava a equipe do programa para que fossem convidadas figuras políticas que tinham relação de amizade com seus membros.

“Falavam: ‘Tem que chamar o ministro da Educação, o das Comunicações, o da Saúde’”, exemplificou, na conversa. 

Nunes diz que, com as imposições, houve nomes que se repetiram na programação em curto período. Afirma também que preferiu não renovar seu contrato, em março. 

“Todos querem dizer que fizeram um grande trabalho, e depois vão se candidatar.”

Segundo Marcos Mendonça, presidente da TV Cultura, as escolhas dos entrevistados para o programa são sempre pautadas por relevância jornalística. “Somos mantidos pelo estado. E temos total independência”, disse. 

Sobre a repetição de convidados, caso de José Mendonça Filho, ministro da Educação entre 2016 e 2018, o presidente da Cultura afirmou que o retorno do político teve como razão o lançamento de programas “importantes” em área que seria prioridade na emissora.

Ele esteve duas vezes no centro da roda em 17 meses, a última delas em março.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.