Descrição de chapéu Livros

Best-seller de Israel, Yoav Blum é destaque da Bienal do Livro

Autor de 'Os Criadores de Coincidência' vai falar sobre sua obra hoje em São Paulo

Yoav Blum, autor de 'Os Criadores de Coincidência' - Divulgação
Ivan Finotti
São Paulo

No universo do livro "Os Criadores de Coincidência" (Planeta, 320 págs., R$ 41,90), foram os agentes de uma organização secreta que criaram as coincidências necessárias para que o disco do Pink Floyd "The Dark Side of the Moon" (1973) toque em sincronia perfeita com o filme "O Mágico de Oz" (1939).

Eles também foram responsáveis pela união na adolescência de Lennon e McCartney, além de terem dado um empurrãozinho para que cientistas pudessem descobrir acidentalmente coisas tão díspares como a penicilina (1928) ou o teflon (1938).

Mas, agora, uma missão mais complexa coloca em risco a carreira de nosso criador de coincidências preferido. Esse é o argumento da obra do israelense Yoav Blum, sucesso instantâneo em sua terra natal em 2011, e que está estourando mundialmente desde o ano passado.

"Os Criadores de Coincidência" foi ou está sendo traduzido para 13 línguas, incluindo o italiano, no qual recebeu o bizarro título "a fórmula do coração e do destino", na tradução para o português.

"Tento não ser rígido sobre isso", ri Blum. "O livro foi traduzido em diversas línguas só este ano. Antes, só teve sucesso no mercado hebraico, que é meio pequeno. Em apenas alguns meses, houve uma explosão. Agora está sendo traduzido para o japonês e o chinês, e jamais saberei os títulos que vão dar nesses países."

Yoav Blum está no Brasil nesta terça-feira (7) para falar em dois eventos, um da Bienal Internacional do Livro e outro na Unibes Cultural, que foi organizado pela editora Planeta em parceria com o Consulado de Israel.

A Planeta, que lançou o livro aqui, informa que o adquiriu após concorrido leilão semanas antes da Feira de Frankfurt de 2016. Não revela quanto pagou pela obra, mas afirma que foi o maior investimento da empresa em ficção naquele ano.

"Acho que começou com um bom agente porque você precisa de alguém que acredite e se anime com o livro. E o meu agente estava muito interessado no livro. Mas acho que tem uma parcela de sorte e eu também estava no lugar certo na hora certa. Espero que também tenham tido boas traduções que amarraram as editorias e criou essa bola de neve."

O livro já foi adquirido, em 2012, por um pequeno estúdio de cinema independente dos Estados Unidos para virar filme ou minissérie, mas esses trabalhos ainda não saíram do roteiro.

"É um livro muito difícil de se tornar um filme. Há muitos pensamentos que nem sempre são visuais. Mas espero que haja uma adaptação em filme ou em série de TV em breve", diz o autor.

Após "Os Criadores de Coincidência", Yoav Blum já lançou mais dois livros em Israel, ambos best-sellers instantâneos como o primeiro. Agora começa a escrever seu quarto título. "É sobre uma teoria que que fala de figuração. Eu li sobre isso e as pessoas tentam experimentar uma forma de lidar com o que é fake e com o que é verdadeiro. Estou nos primeiros passos ainda."

25ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo

Bate-papo com Yoav Blum, ter. (7), das 13h30 às 14h30, na Arena Cultural, av. Olavo Fontoura, 1.209, São Paulo

Bate-papo com Yoav Blum

Ter. (7), às 19h, na Unibes Cultural, r. Oscar Freire, 2.500, São Paulo

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.