Vocalista do Cranberries morreu afogada em banheira, diz laudo

Dolores O'Riordan foi encontrada morta em quarto de hotel em Londres, em janeiro deste ano

Dolores O'Riordan, vocalista do grupo irlandês The Cranberries, morta em janiero deste ano
Dolores O'Riordan, vocalista do grupo irlandês The Cranberries, morta em janiero deste ano - Li Fangyu/Xinhua
Dublin | Reuters

Segundo laudo divulgado hoje (6), a vocalista do grupo The Cranberries Dolores O'Riordan morreu afogada numa banheira em um hotel de Londres, no Reino Unido, após intoxicação alcoólica.

Peritos disseram que a cantora havia ingerido uma quantidade excessiva de álcool —o exame toxicológico mostrou que havia 330 mg de álcool por 100 ml de sangue, o que significa que ela bebeu quatro vezes o limite legal para poder dirigir no Reino Unido.

​O'Riordan morreu no dia 15 de janeiro deste ano, aos 46 anos. Até então, a morte era dada como acidental.

Formada em 1989 em Limerick, na Irlanda, a banda The Cranberries tornou-se famosa com o álbum de estreia "Everybody Else Is Doing It, So Why Can't We?", de 1993. Além de O'Riordan, a banda inclui Fergal Lawler (bateria) e os irmãos Noel Hogan (guitarra) e Mike Hogan (baixo).

Frequentemente identificada com o rock alternativo e com o pós-grunge, a banda tinha forte vocação para o pop rock e foi uma das atrações de rock mais bem-sucedidas comercialmente nos anos 1990, tendo vendido mais de 40 milhões de discos desde então.

A banda se separou em 2003. Nos anos seguintes, O'Riordan dedicou-se a uma carreira solo na qual lançou dois álbuns, além de diversas colaborações com outros artistas.

O grupo se reuniu em 2009 e lançou mais dois álbuns, "Roses" (2012) e "Something Else" (2017).

Com a banda, a cantora veio ao Brasil em 2010 com a turnê sul-americana "Reunion", passando por São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Florianópolis, Brasília e Porto Alegre.

A letra meio falada, meio cantada de "Linger", sobre uma relação de amor frustrada, e o sotaque e o tom de voz peculiares da cantora (O'Riordan era meio-soprano) chamaram a atenção de crítica e público em um ambiente tomado pelo som denso e gritado das bandas grunge e de remanescentes do hard rock.

"Escrevi sobre ser rejeitada", disse a cantora sobre o clássico durante entrevista ao jornal britânico "The Guardian" em 2017. "Nunca imaginei que se tornaria uma grande canção", completou.

Também colaboraram para alçar a banda ao top 10 norte-americano o videoclipe de tons cinematográficos e ares retrô de "Linger" e a habilidade audiovisual do grupo, manifesta em outros videoclipes de sucesso, como "Zombie" e "Dreams"

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.