Harvey Weinstein fica livre de uma das acusações de estupro

Ex-aspirante a atriz acusou produtor de tê-la forçado a fazer sexo oral nele em 2004

São Paulo | Associated Press

Um juiz de de Manhattan arquivou um dos casos de assédio sexual envolvendo o produtor Harvey Weinstein.

Segundo a promotoria, foram identificadas inconsistências nas declarações de uma das acusadoras.

As acusações foram feitas por Lucia Evans, ex-aspirante a atriz, primeiramente em artigo publicado na revista The New Yorker, assinado por Ronan Farrow, filho de Woody Allen e Mia Farrow.

Na matéria, Evans diz que em 2004, em Nova York, durante uma reunião com Weinstein, o produtor a forçou a fazer sexo oral nele.

Segundo alguns veículos de imprensa americanos, foram encontrados escritos de autoria de Evans que sugeriam que o seu encontro com Weinstein foi consensual.

O caso envolve outras duas acusações que, segundo a promotoria, são fortes. Uma delas envolve supostos estupros de duas mulheres não identificadas, um em 2013 e outro em 2006.

O promotor (district attorney) de Manhattan Cyrus R. Vance Jr. foi anteriormente criticado por ter se negado a processar Weinstein após uma modelo italiana tê-lo acusado de agarrar seus seios em 2015. Vance Jr. alegou falta de provas, apesar de haver uma gravação clandestina em que Weinstein fala sobre o caso com a mulher.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.