'Aranhaverso' leva nota A+ do público e supera Clint Eastwood e Peter Jackson

Animação faturou US$ 35,4 milhões nos cinemas dos EUA e Canadá no fim de semana de estreia

Peni (Kimiko Glen), Spider-Gwen (Hailee Steinfeld), Spider-Ham (John Mulaney), Miles Morales (Shameik Moore), Peter Parker (Jake Johnson), Spider-Man Noir (Nicolas Cage) em  'Homem-Aranha: No Aranhaverso'

Peni (Kimiko Glen), Spider-Gwen (Hailee Steinfeld), Spider-Ham (John Mulaney), Miles Morales (Shameik Moore), Peter Parker (Jake Johnson), Spider-Man Noir (Nicolas Cage) em 'Homem-Aranha: No Aranhaverso' Divulgação

Los Angeles | AP

“Homem-Aranha: No Aranhaverso” chegou ao topo das bilheterias em seu fim de semana de estreia nos cinemas dos Estados Unidos e do Canadá, comprovando o interesse do público também em versões animadas dos super-heróis da Marvel na tela grande. No Brasil, o filme estreia em 10 de janeiro.

A animação bateu estreias fortes como "A Mula", longa sobre o mundo do contrabando de Clint Eastwood, e 'Máquinas Mortais', produzido e roteirizado por Peter Jackson, de "O Senhor dos Anéis".

Com custo de produção de US$ 90 milhões (cerca de R$ 352 milhões), "Aranhaverso" faturou US$ 35,4 milhões (R$ 138 milhões) em 3.813 cinemas de sexta (14) a domingo (16), um recorde para o gênero no mês de dezembro —embora o híbrido "Alvin e os Esquilos" (2007), que mistura desenhos e pessoas, tenha arrecadado mais.

A trama é centrada em Miles Morales, adolescente negro do Brooklyn nova-iorquino de ascendência hispânica. Ele é um dos personagens com os poderes do Aranha que se reúnem no longa.

Além de muito bem recebido pelos críticos, o público deu a ele um raro A+ nas pesquisas de saídas de sessão do CinemaScore —marca inédita para um filme do Homem-Aranha.

Mistura de CGI (imagens geradas por computador) e desenho a mão livre, o longa também foi indicado ao Globo de Ouro de melhor filme de animação.

A venda de ingressos é estimada pela ComScore e deve ter dados consolidados nesta segunda (17).

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.