Festival reúne artistas à margem que arriscam na linguagem

Mostra traz trabalhos nacionais e estrangeiros de diversas áreas, do teatro às artes visuais

Maria Luísa Barsanelli
São Paulo

Produtora cultural e diretora, a argentina radicada no Brasil Natalia Mallo percebeu ao longo dos anos que os artistas que mais arriscavam na linguagem de seus trabalhos também eram aqueles que de algum modo estão à margem da sociedade —negros, gays, transexuais etc.

Acabou criando com a também produtora Gabi Gonçalves o Risco Festival, que reúne trabalhos nacionais e estrangeiros de diversas áreas, do teatro às artes visuais, que trazem à luz minorias e arriscam linguagens artísticas distintas.

“Arrisco a dizer que [essa coincidência] tem a ver com a experiência do corpo desses artistas. Por isso a gente tem como eixo temático o entendimento do corpo”, diz Mallo, diretora de “O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu”.

A programação traz trabalhos inéditos, como o show “Trava”, de Marina Matheus, e “Ambulatorial”, solo de dança com Amanda Corrêa e direção de Carmen Morais. Já “Tribunal dos Animais”, da francesa Catherine Baÿ, coloca em cena performers portando máscaras de bichos e fazendo alusões a fábulas em uma plenária pública.

Risco Festival

Itaú Cultural (av. Paulista, 149), Instituto Tomie Ohtake (r. Coropés, 88) e outros locais. Até 16/12. Programação em www.riscofestival.com

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.