Beatles lançaram 'Yellow Submarine' com canções recicladas e até sem tocar

Há 50 anos, banda apresentou seu 11º álbum pressionada para compor trilha de desenho sucesso mundial

Os Beatles em 'Yellow Submarine' Divulgação

Thales de Menezes
São Paulo

Esta década testemunha uma sucessão de comemorações de 50 anos das obras dos Beatles, que produziram seus discos entre 1962 e 1970.

A série de eventos começou em outubro de 2012, quando foi celebrado o cinquentenário do primeiro single, "Love Me Do", e está seguindo com toda a discografia, incluindo os geniais "Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band", cinquentão em 2017, e "The Beatles", o "Álbum Branco", festejado no ano passado.

Este domingo, 13 de janeiro, marca os 50 anos do lançamento nos Estados Unidos daquele que é considerado o pior disco do quarteto: "Yellow Submarine". Ele chegou às lojas inglesas quatro dias depois, em 17 de janeiro de 1969.

Há quem avalie o disco apenas como um amontoado de canções para a trilha sonora do desenho animado de mesmo nome, lançado no ano anterior. Mas "Yellow Submarine" passou a ser tratado oficialmente como o 11º dos 13 álbuns lançados pelos Beatles enquanto estavam juntos.

Todas as edições de caixas de álbuns em CD ou vinil que contemplam a discografia completa da banda incluem esse trabalho.

Embora seja originalmente uma colcha de retalhos, espécie de Frankenstein musical com canções dispersas, "Yellow Submarine" ganhou quase imediatamente o status de mais uma obra dos Beatles, colocada lado a lado com álbuns primorosos como "Revolver" ou "Rubber Soul".

Classificar o disco no conjunto da produção do quarteto é uma questão delicada.

O lado A do LP com a trilha traz seis canções compostas e gravadas pelos Beatles. Quatro delas eram até então inéditas, gravações antigas desprezadas pela banda.

As duas músicas reaproveitadas são "Yellow Submarine", original do álbum "Revolver" (1966), e "All You Need Is Love", lançada como single em 1967 e depois incluída, no mesmo ano, na trilha sonora de outro filme dos Beatles, "Magical Mystery Tour".

O lado B de "Yellow Submarine" tem músicas orquestradas compostas e arranjadas por George Martin, produtor musical do discos do grupo.

Na época foi cogitado o lançamento desse "meio LP" dos Beatles, sem o material de Martin, em formato de EP, mas a opção final foi completar um álbum inteiro.

Embora anos depois George Harrison, Paul McCartney e Ringo Starr tenham declarado sua admiração pelo desenho animado, nem eles nem John Lennon estavam muito interessados no projeto.

Incensados pela recepção ao álbum "Sgt. Pepper's", os Beatles tinham muitas ambições em 1968. As gravações daquele ano, entre maio e outubro, deram origem ao "Álbum Branco", LP duplo de grande impacto. Uma obra-prima ímpar.

Ocupados no estúdio, os Beatles não deram muitos palpites na animação. George Martin era quem cuidava da parte musical para os diretores, George Dunning e Dennis Abey, e ajudava os quatro roteiristas que criaram uma aventura num reino aquático, Pepperland, com elementos de letras da discografia dos Beatles.

Na trama, o quarteto viaja em um submarino para resgatar a música de Pepperland, que tinha sido atacado pelo Líder dos Maldosos Azuis. O vilão deixou o lugar sem som e sem cores.

As sessões de estúdio para o "Álbum Branco" não foram tranquilas. Para muitos biógrafos, elas já apontavam o desgaste entre os integrantes da banda, que iria se separar dois anos depois —a última apresentação pública ocorreu no telhado da gravadora Apple, em Londres.

Nesse ambiente tenso de criação, os Beatles foram surpreendidos com a exigência da gravadora para que eles produzissem quatro canções inéditas para a trilha do filme.

Sem disposição para a missão, eles recorreram a músicas que haviam sido rejeitadas pela banda, deixadas de fora de outros projetos.

Duas, com acento psicodélico, são de George Harrison: "Only a Northern Song", excluída da edição final de "Sgt. Pepper's", e "It's All Too Much", gravada nas sessões de "Magycal Mystery Tour".

 

As outras duas, "All Together Now" e "Hey Bulldog", são creditadas a Lennon e McCartney. A primeira é de McCartney, da época de "Magical Mystery Tour", e o próprio autor avalia ter tentado algo infantil, semelhante à canção "Yellow Submarine", sem sucesso.

"Hey Bulldog" é de Lennon, que a considerava mais uma brincadeira. "Como música, é nada", disse. Eles finalizaram a gravação para a trilha, mas antes ela teve um registro, em áudio e vídeo, para participar do single "Lady Madonna", lançado em março de 1968. Acabou descartada daquele projeto.

"Yellow Submarine" foi sucesso mundial. O longa estreou nos cinemas britânicos em julho de 1968, mas a trilha teve de esperar seis meses para chegar às lojas. Os Beatles não queriam mais um disco saindo antes do "Álbum Branco", lançado em novembro de 1968.

A repercussão desse outro trabalho e o período desde a estreia do filme enfraqueceram as vendas de "Yellow Submarine", primeiro álbum dos Beatles a não chegar ao primeiro lugar das paradas nos Estados Unidos (ficou em segundo, atrás do "Álbum Branco") e no Reino Unido (atingiu a terceira posição da lista).

 

Os Beatles são venerados por gerações, representando a unanimidade mais sólida da história do pop. É claro que o pior deles ainda soa muito superior ao melhor produzido pela maioria dos artistas.

Atualmente, filme e trilha sonora estão disponíveis nas lojas em vinil, CD, DVD e Blu-ray.

Mas escutar "Yellow Submarine" hoje pode reforçar a definição que John Lennon deu ao disco: dois hits em reprise, quatro músicas abaixo do que eles costumavam fazer e faixas orquestradas que não tinham identidade com a banda.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.