Descrição de chapéu Cinema Oscar 2019

Diretor de 'Bohemian Rhapsody' enfrenta novas acusações de abuso sexual

Revista The Atlantic publicou relatos de homens que dizem ter sido assediados por Bryan Singer

O diretor Byan Singer na estreia de 'X-Men: Apocalipse', em 2016
O diretor Byan Singer na estreia de 'X-Men: Apocalipse', em 2016 - Hannah McKay/Reuters
São Paulo

Novas acusações de estupro e assédio sexual vieram à tona contra o cineasta Bryan Singer –algumas delas datando de 20 anos atrás. O americano é diretor de "Bohemian Rhapsody", um dos recordistas de bilheteria do ano passado e indicado ao Oscar de melhor filme.

A revista The Atlantic colheu relatos de homens que dizem ter sido molestados por ele, boa parte quando as supostas vítimas eram menores de idade. Quatro dessas pessoas nunca antes haviam sido ouvidas  e dizem sofrer consequências do trauma até hoje. 

Após a publicação, o diretor se manifestou e negou as acusações. Disse que as acusações são fruto do sucesso de "Bohemian Rhapsody" e que a "reportagem homofóbica" foi feita para aproveitar a onda. 

O periódico sugere certos padrões de conduta criminosa: as vítimas eram garotos algo afastados da família e desejos de fazer sucesso em Hollywood, Singer contava com o auxílio de parceiros para chegar até eles, respaldado pelo sucesso de seus filmes, e muitas vezes fazia uso de substâncias para seduzi-los. 

Victor Valdovinos, que estava na sétima série em 1997, disse que foi interpelado pelo diretor num banheiro público. Naquele ano, o cineasta rodava "O Aprendiz" nas cercanias da escola onde o então garoto estudava. Enquanto o menino usava o mictório, diz ter percebido alguém bem atrás dele. Era Singer. 

"Você é tão bonito. O que vai fazer amanhã? Talvez eu possa botar alguém em contato para te colocar no meu filme", teria dito ele a Valdovinos. Escalado como figurante da produção, ele afirma que foi apalpado pelo diretor enquanto o menino trajava apenas uma toalha --isso teria acontecido num vestiário afastado de onde as filmagens aconteciam. 

De fato, "O Aprendiz" tem várias cenas rodadas numa escola americana, inclusive uma delas num chuveiro estudantil. Na ocasião, menores de idade foram chamados para atuar como figurantes e se despir para a equipe de filmagem, o que custou um processo à produção.

Outro dos então garotos ouvidos pela revista é Ben, que afirma ter frequentado as famosas festas na piscina que o diretor dava em sua mansão Los Angeles, descritas como celebrações recheadas de homens jovens, drogas e orgias.

Numa delas, quando ele tinha 17 ou 18 anos, relata ter feito sexo oral com Singer. Afirma ainda que o diretor frequentemente "cruzava fronteiras", isto é, enfiava a mão nas partes íntimas de outras pessoas sem o consentimento delas.

​Andy, que tinha 15 anos no fim dos anos 1990, é outra das supostas vítimas ouvidas. Afirma que  frequentava alguma dessas festas e que várias vezes foi levado até o quarto do diretor, onde ambos fizeram sexo --na primeira vez, sob as vistas do ator Brad Renfro, também adolescente na época, e  protagonista de "O Aprendiz". 

Enquanto Andy diz ter descambado para o abuso de drogas e prostituição após o incidente, Renfro usufruiu do prestígio de estrela teen, mas morreu de overdose em 2008, aos 23 anos. 

A revista também ouviu Eric, que afirmou que era habitué das festas de Singer. E que durante cerca de cinco anos, desde que ele tinha 17 anos, costumava fazer sexo com o diretor. Ao chegar aos 20 e poucos, contudo, o interesse do cineasta por ele teria diminuído. 

As acusações colhidas pela The Atlantic se somam a outras que circulam há anos. Em 2014,  Michael Egan disse ter sido dopado e então estuprado pelo diretor quando ele tinha 15 anos. 

Em dezembro de 2017, na esteira da onda de acusações de assédio na indústria, o cineasta foi processado por Cesar Sanchez-Guzman, homem que alega ter sido estuprado pelo realizador em 2003, aos 17 anos.

Hoje aos 53 anos, Singer é conhecido por ser um diretor irascível no set. Durante as filmagens de "Bohemian Rhapsody", ele teve brigas com o ator Rami Malek, que interpreta Freddie Mercury, estava frequentemente ausente e acabou demitido pela Fox três semanas antes de as gravações terminarem. Seu nome foi ignorado nos discursos do Globo de Ouro. 

Entre suas obras mais famosas destacam-se "Os Suspeitos" (1995), "Operação Valquíria" (2008) e vários dos filmes da franquia "X-Men". 

Apesar das acusações, estúdios continuam contratando os seus serviços. Até o momento, ele continuava escalado para dirigir a fantasia "Red Sonja". Ironicamente, a protagonista da obra é a sobrevivente de um abuso sexual. 

 

ASSÉDIO EM HOLLYWOOD

Confira a seguir um resumo sobre os principais casos de assédio sexual e estupro em Hollywood reportados recentemente.

Harvey Weinstein
No caso que foi o estopim para a avalanche de acusações em Hollywood, o outrora poderoso produtor de é acusado de ter assediado e estuprado mulheres ao longo de três décadas. Entre as vítimas estão Angelina Jolie, Ashley Judd e Gwyneth Paltrow. Bob Weinstein, irmão de Harvey, também foi acusado de assédio.

Woody Allen
O diretor é acusado de ter molestado Dylan Farrow, filha adotiva de sua então mulher, Mia Farrow.  Na época, o cineasta afirmou que Mia manipulou a garota para torná-lo culpado publicamente pelo seu envolvimento com Soon-Yi Previn, outra das filhas adotivas da mulher e maior de idade na época do envolvimento com Allen.  O caso rendeu uma extensa batalha judicial pela tutela dos filhos do casal.

Kevin Spacey
Vários rapazes acusam o ator de "House of Cards" de abuso. A polícia do estado de Massachusetts afirma ter provas em vídeo de abuso sexual que o ator teria cometido contra um rapaz de 18 anos, em 2016. Ouvido pela Justiça, ele se declarou inocente. 

Bryan Singer 
Pesam contra o responsável por sucessos como "Bohemian Rhapsody" e "X-Men" acusações de que ele teria violentado diversos homens menores de idade ao longo dos últimos 20 anos. Segundo as supostas vítimas, ele prometia papéis em suas produções de sucesso e costumava realizar festas na piscina de sua mansão em Los Angeles cheias de homens jovens e drogas.

James Toback
Segundo o "Los Angeles Times", mais de 30 mulheres denunciaram o diretor e roteirista de cometer assédio sexual. Autor da reportagem, Glenn Whipp disse ter sido contatado por 193 mulheres com acusações semelhantes contra Toback, autor do roteiro de filmes como "Bugsy" e "O Apostador".

Roman Polanski
Além de ter estuprado uma garota de 13 anos em 1977, o cineasta franco-polonês também é alvo de, pelo menos, outras quatro acusações contra mulheres menores de idade, entre elas a atriz Charlotte Lewis. Em Paris, uma retrospectiva de sua obra foi alvo de críticas por um grupo feminista.

Dustin Hoffman
O ator é acusado de ter assediado sexualmente a escritora Anna Graham Hunter, então com 17 anos, no set do telefilme "A Morte de um Caixeiro-Viajante", em 1985. Ele teria falado de sexo para ela e a apalpado. Hoffman se desculpou e disse que aquilo não "reflete" quem ele é.

Brett Ratner
A atriz Natasha Henstridge diz ter sido forçada a fazer sexo oral no diretor de "A Hora do Rush" e "X-Men: O Confronto Final" nos anos 1990. Além dela, outras atrizes e modelos, como Olivia Munn e Jaime Ray Newman, também relatam casos semelhantes envolvendo ele. Rattner nega as acusações.

Ed Westwick
O ator conhecido por "Gossip Girl" foi acusado de estupro por Kristina Cohen e Aurélie Wynn. Ele nega. A polícia de Los Angeles abriu investigação sobre o primeiro caso. Com isso, a BBC suspendeu a exibição "Ordeal by Innocence". As gravações já iniciadas da segunda temporada de "White Gold", da Netflix, também foram suspensas.

Morgan Freeman
Uma assistente de produção acusou o ator de comportamento sexual abusivo durante as gravações de “Despedida em Grande Estilo” (2017). A assistente acusa o ator de ter colocado as costas das mãos em sua perna e diz que ele também teria tentado levantar sua saia. Segundo a CNN, outras acusações contra Freeman foram relatadas –16 pessoas foram ouvidas, oito das quais se disseram vítimas.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.