Ator Bruno Ganz, que fez Hitler em 'A Queda', morre, aos 77 anos de idade

Suíço morreu na madrugada deste sábado (16)

O ator suíço Bruno Ganz durante o Festival de Veneza, em 2015 - Tiziana Fabi/AFP
Guilherme Genestreti
Berlim

Um dos maiores atores do mundo germânico, o suíço Bruno Ganz morreu na madrugada de sábado (16), em sua casa, em Zurique. Ele tinha 77 anos e sofria de câncer no cólon.

Entre seus papéis mais famosos estão o do ditador Adolf Hitler em "A Queda", em 2004, e o do anjo Damiel de "Asas do Desejo", de Wim Wenders. Um de seus últimos papéis foi como Virgil, o interlocutor do serial killer vivido por Matt Dillon em "A Casa que Jack Construiu", de Lars von Trier.

"O céu está azul lá fora e o sol saiu. E há uma razão triste para isso", disse Dieter Kosslick, diretor do Festival de Berlim, ao anunciar que Ganz tinha morrido.

Conhecido por papéis de sujeitos algo atormentados e circunspectos, ele era um "sujeito muito engraçado", segundo Kosslick.

O ator começou sua carreira no teatro no começo dos anos 1960 e teve um início não tão bem-sucedido no cinema. Foi a partir dos anos 1970 que ele começou a participar de filmes de mais projeção, caso de "A Marquesa d'O", e de Éric Rohmer, de "O Amigo Americano" (1977), de Wenders.

Outros de seus longas mais conhecidos são "Pão e Tulipas", de 2000, e "O Leitor", de 2008. 

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.