Filhos de Chris Cornell recebem Grammy póstumo de melhor performance de rock

Morto em 2017, cantor do Soundgarden foi premiado por 'When Bad Does Good', do disco homônimo lançado no ano passado

São Paulo

Chris Cornell, vocalista do grupo Soundgarden morto em 2017, aos 52 anos, recebeu um prêmio Grammy póstumo neste domingo (10), em Los Angeles, onde acontece a 61ª cerimônia da premiação.

Cornell foi lembrado por sua canção “When Bad Does Good”, do disco de mesmo nome lançado pela Universal no ano passado. Foi o terceiro prêmio Grammy recebido pelo artista em sua carreira.

Cornell disputava o Grammy de melhor performance de rock com Arctic Monkeys ("Four Out of Five"), The Fever 333 ("Made an America"), Greta Van Fleet ("Highway Tune") e Halestorm ("Uncomfortable").

​Toni e Christopher, filhos do músico, receberam o prêmio. A viúva de Cornell, Vicky, também foi à cerimônia.

Mais cedo, durante a chegada dos artistas ao tapete vermelho, Toni foi fotografada vestindo uma camiseta com o rosto do pai.

Uma das vozes mais importantes da cena grunge que tomou os Estados Unidos e o mundo a partir de Seattle no início dos anos 1990, Cornell se suicidou em julho de 2017, após um show de sua banda Soundgarden.

A banda venceu dois prêmios Grammy em 1995.

O cantor saiu em carreira solo depois do fim da banda, em 1997. Posteriormente, ele integrou a banda Audioslave, que incluía Tom Morello, Brad Wilk e Tim Commerford, ex-Rage Against the Machine. O Soundgarden voltou à ativa em 2012.

O músico tinha longo histórico de depressão e vício em drogas, embora estivesse sóbrio havia anos. Segundo sua mulher, a atitude do artista mudou após um médico ter receitado ao músico um analgésico baseado no composto benzodiazepina para dores no ombro.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.