Kendrick Lamar e Drake disputam Grammy do #MeToo

Rappers, divas e polêmicas dão o tom da 61ª edição do prêmio

O rapper Kendrick Lamar no Grammy 2018, em Nova York - Timothy A. Clary/AFP
Rafael Gregorio
São Paulo

Rappers, divas e polêmicas dão o tom da 61ª edição do Grammy, neste domingo (10), em Los Angeles.

O evento terá transmissão no Brasil pelos canais pagos TNT, às 22h30, e E! (tapete vermelho a partir das 20h30).

Kendrick Lamar e Drake lideram em indicações —oito e sete— e travam disputa particular. Na sequência vem Brandi Carlile, com seis indicações.

Mas os rappers, assim como o cantor e ator Donald Glover, o Childish Gambino, rejeitaram convites para cantarem na cerimônia, segundo o jornal The New York Times.

Lamar, que esteve por trás da trilha sonora do filme "Pantera Negra", preferiu dar destaque ao Oscar, no qual já foi confirmado com apresentação ao vivo de "All the Stars".

A cantora Ariana Grande também cancelou sua ida à festa. A popstar, que concorre a melhor performance pop e melhor álbum pop, ficou revoltada com intervenções da produção sobre sua escolha de repertório.

Para piorar, uma lista foi vazada indicando que Lady Gaga sairia vitoriosa com "Shallow", do filme "Nasce uma Estrela", na canção do ano, enquanto Cardi B levaria a gravação do ano por "I Like It". O evento desmentiu a lista, que teria sido obtida por hackers.

Com ares de compensação, Gaga anunciou de última hora um show no evento, que terá abertura de Camila Cabello.

Também chama a atenção a natureza pós-#MeToo desta edição. Neste ano, a lista de indicados às 84 categorias contempla mais mulheres do que em 2018, quando só 11 troféus foram vencidos por elas.

Essa alta se acentua nos filés da premiação: disco do ano, artista revelação, canção e gravação —canção mira autores de faixas novas, enquanto gravação premia intérpretes de temas não necessariamente inéditos.

A Academia ampliou também a quantidade de indicados nessas categorias, de cinco para oito.

Em 2018, foram cinco mulheres indicadas, enquanto agora são 17 —impressionante aumento nominal de 240%.

Considerando que as quatro categorias agora têm oito concorrentes, proporcionalmente o salto é relevante: de 25% dos indicados em 2018, agora as mulheres são 53% deles.

Elas tomam também a apresentação da cerimônia: a cantora Alicia Keys, que já faturou 15 estatuetas do Grammy, substitui o comediante James Corden, que ocupou o posto nos últimos dois anos.

Apresentarão prêmios artistas como a banda Red Hot Chili Peppers e os cantores Shawn Mendes, Diana Ross e Janelle Monáe, a favorita da crítica americana —e também deste repórter— para o melhor álbum por seu "Dirty Computer".

Aretha Franklin, morta em 2018, será lembrada por Yolanda Adams, Fantasia e Andra Day. Dolly Parton, 73, a rainha do country, será homenageada por Katy Perry e Miley Cyrus.

Entre os brasileiros, segundo dados de visualização do Google obtidos com exclusividade, "All The Stars", de Lamar, é a favorita a música do ano, enquanto "I Like It", de Cardi B, é a preferida entre as gravações. Se dependesse do Brasil, Dua Lipa seria a revelação, e "This Is America", de Childish Gambino, venceria entre os clipes musicais.


Shows, indicados e quando/onde assistir

COMO ASSISTIR
22h30, no TNT (tapete vermelho às 20h30, no E!)

PRINCIPAIS SHOWS
Abertura: Camila Cabello com J Balvin, Ricky Martin e outros
Tributo a Dolly Parton - Katy Perry e Miley Cyrus
Lady Gaga

PRINCIPAIS INDICADOS

Música do ano

'Shallow' - Lady Gaga, Mark Ronson, Anthony Rossomando e Andrew Wyatt
'This Is America' - Donald Glover e Ludwig Göransson
'The Joke' - Brandi Carlile e outros
'In My Blood' - Teddy Geiger, Scott Harris, Shawn Mendes e Geoffrey Warburton 
'All the Stars' - Kendrick Duckworth e outros
'Boo'd Up' - Larrance Dopson, Joelle James, Ella Mai e Dijon McFarlane 
'God's Plan' - Aubrey Graham, Daveon Jackson e outros
'The Middle' - Sarah Aarons, Jordan K. Johnson e outros

Disco do ano

'Invasion of Privacy' - Cardi B
'By the Way, I Forgive You' - Brandi Carlile
'Scorpion' - Drake
 'H.E.R.' - H.E.R.
'Beerbongs & Bentleys' - Post Malone
'Dirty Computer' - Janelle Monáe
'Golden Hour' - Kacey Musgraves
'Black Panther: The Album' - com Kendrick Lamar

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.