Festival congrega pensadores em debate sobre aplicações da tecnologia

Responsabilidade social, inclusão, políticas públicas e descriminalização das drogas são pautas frequentes

Gavin Barnes, engenheiro-chefe da Exoskeleton Technologies, faz demonstração de uso da tecnologia em no festival SXSW, em Austin - Suzanne Cordeiro/AFP
André Zimmermann
Austin (Texas)

Quando se pensa no South by Southwest, festival de música, filme e interatividade, que acontece anualmente em março, há mais de 30 anos, em Austin, no Texas, imediatamente faz-se a conexão com futuro. O evento tem tradição de mostrar inovações tecnológicas e suas aplicações práticas na vidas das pessoas e empresas e já ajudou a lançar negócios como o Twitter, o Foursquare, o Uber e o Airbnb.

Mas o SXSW é muito mais do que isso. Ele fala de responsabilidade social, de diversidade, de inclusão, de políticas públicas, de mudanças climáticas, de descriminalização das drogas, enfim, do futuro do mundo e das pessoas, de forma ampla e com profundidade.

Sempre foi assim, mas neste ano de 2019 parece ter havido uma preocupação ainda mais especial dos organizadores e curadores em incluir sessões com essas temáticas. Faz todo sentido, aliás, que num momento em que o mundo sofre com o efeito negativo das Fake News e o despreparo de governantes, como Trump, em relação a todos estes assuntos, o festival se posicione e ajude a prover as pessoas com informações importantes e esclarecedoras, que muitas vezes elas não têm.

Da Inteligência Artificial, que ajudará cientistas e pesquisadores a melhor processarem dados referentes a doenças e, com isso, otimizar os processo de busca de remédios e tratamentos, a soluções que promovem a inclusão digital e o patrocínio de pessoas desprovidas de crédito, passando por discussões profundas e esclarecedoras sobre a necessidade de promover a diversidade nas empresas e de garantir acesso igualitário a inovações tecnológicas, muitos são os debates práticos e elucidativos promovidos pelo festival.

Há os que pensam, e eu me incluo nessa lista, que o futuro das nações e das pessoas que nelas vivem está cada vez menos nas mãos dos governos, geralmente mais alienados, e mais nas mãos das pessoas. O empreendedorismo é ferramenta para isso e as inovações tecnológicas, aceleradores deste processo. Ainda assim, o SXSW 2019 preocupou-se em também trazer políticos para o debate.

No total foram cinco pré-candidatos à presidência americana em 2020 que passaram pelos palcos do festival, além de senadores e deputados. A inclusão deles no diálogo é, sem dúvida, fundamental para uma atuação mais ligada à realidade das pessoas e a suas necessidades reais.

Ao final da Segunda Guerra Mundial, os governos das nações mais poderosas do mundo se reuniram e determinaram uma nova ordem mundial. A partir daí, regras geopolíticas, tratados comerciais e políticas comuns de direitos humanos foram definidos.

Em Austin, todos os anos, grupos de pessoas com diferentes formações e áreas de conhecimento se reúnem e buscam entender a nova realidade do mundo e escrever novas regras que vão pavimentar um futuro mais complexo, mas também mais plural, mais inclusivo, mais justo e melhor para se viver. Otimismo exagerado? Talvez. Prefiro pensar que é tão necessário e vital, que não pode ser diferente.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.