Descrição de chapéu Flip Livros

Flip anuncia autora canadense Sheila Heti em sua programação

Escritora acaba de publicar o romance 'Maternidade' no país

A escritora canadense Sheila Heti, autora de 'Maternidade' e convidada da Flip 2019
A escritora canadense Sheila Heti, autora de 'Maternidade' e convidada da Flip 2019 - Divulgação
São Paulo

A escritora Sheila Heti é a quarta presença confirmada da Flip (Festa Literária Internacional de Paraty) deste ano, que acontece entre 10 e 14 de julho. A canadense, autora de oito livros de ficção e não ficção, acaba de lançar no Brasil  o romance "Maternidade" (Companhia das Letras). 

“Sheila Heti tem a capacidade rara de criar narrativas ficcionais cheias de ritmo que coordenam reflexões filosóficas complexas e a concretude da vida real. Seu último livro, que discute a escolha ou não pela maternidade —tema que só recentemente ganhou debate mais amplo—, faz isso de forma profunda e brilhante, enfrentando todas as ambiguidades do caminho”, afirmou em nota a curadora do evento literário, Fernanda Diamant.

No ano passado, a escritora foi citada por críticos do jornal The New York Times em uma lista de 15 autoras ao redor do mundo que estariam “moldando a maneira como lemos e escrevemos ficção no século 21”.

As obras de Heti já foram traduzidas para 21 línguas. "Maternidade" é o primeiro a sair no país. Nos EUA, a obra chegou a aparecer em listas de melhores lançamentos de 2018.

“Uma amiga que leu o livro disse que, se os homens pudessem ter bebês, haveria centenas de livros como esse sendo escritos desde a época de Platão —gerar ou não a vida seria a questão central da filosofia”,  disse Heti em uma entrevista à revista literária Paris Review.

Sheila Heti nasceu em Toronto, em 1976, e é filha de imigrantes judeus húngaros. Ela também escreveu "How Should a Person Be?" (Henry Holt, 2010), romance responsável por seu sucesso internacional. A narradora da história também se chama Sheila.

Como editora de entrevistas da revista The Believer, lançada em 2003 nos Estados Unidos, Heti conduziu longas conversas com artistas e personalidades, entre os quais estão nomes como Joan Didion e Agnès Varda. A canadense também colaborou com a revista The New Yorker e o suplemento literário London Review of Books, publicando textos de ficção e crítica literária.

A 17ª edição da Flip homenageia Euclydes da Cunha. Até agora, estão confirmados o angolano Kalaf Epalanga, autor de "Também os Brancos Sabem Dançar" (Todavia); a americana Kristen Roupenian, autora de "Cat Person e Outros Contos" (Companhia das Letras); e a pesquisadora brasileira Walnice Nogueira Galvão, especialista na obra do autor homenageado.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.