São Paulo ganha centro cultural para mostrar arte contemporânea

Para a inauguração, a exposição 'Tensão Relações Cordiais' reúne 40 obras de 37 artistas

São Paulo

A Casa do Parque será inaugurada neste sábado (23) com uma programação gratuita de cursos, oficinas e ciclos de debates. Próximo à entrada principal do parque Villa-Lobos, o novo centro cultural tem como proposta dialogar com o bairro da zona oeste paulistana e interagir com seus moradores.

Para inaugurar a programação, a exposição “Tensão Relações Cordiais” reúne 40 obras de 37 artistas, em sua maioria latino-americanos, com curadoria do crítico e professor Tadeu Chiarelli. 

A mostra, formada por fotografias, telas e esculturas, é abastecida por peças da coleção particular de Regina Pinho de Almeida, mecenas entusiasta de jovens artistas brasileiros que banca o espaço. 

São obras de arte contemporânea, de nomes como Claudia Andujar, Hildebrando de Castro, Waltercio Caldas, Sandra Cinto, Estela Sokol e Liliana Porter. Uma gravura de Jean-Baptiste Debret se destaca na seleção. A visitação fica aberta até o dia 30 de junho.

Idealizadora e mantenedora do projeto, Almeida conta que a escolha do local se deu também por uma ligação afetiva. O Alto de Pinheiros é o bairro onde morou por quase toda a vida e criou seus filhos. 
A coordenação da programação cultural da casa fica sob o comando do jornalista Paulo Werneck, editor da revista Quatro Cinco Um e que já foi responsável pela curadoria de três edições da Flip (de 2014 a 2016).

Para ele, um dos pontos positivos alcançados pela casa é o de não restringir a atuação aos limites do prédio, o que amplia o diálogo com o entorno.

Algumas das atividades programadas para o ano têm o formato de “derivas”, conceito que explora a interação entre contemplação dos espaços e criação artística. 

Em passeios pelo parque e outros espaços do bairro, o público é convidado à experimentação dos endereços. 

Na oficina de ilustração botânica, que tem início no próximo mês, a observação de elementos da natureza faz parte do processo criativo. 

Além da programação, a Casa do Parque vai promover eventos externos, funcionando também como uma produtora de acontecimentos. 

Um dos projetos mais ambiciosos é o primeiro Festival Literário do Parque Villa-Lobos. Ainda em formulação, sob a coordenação de Werneck, o evento contará com a parceria da Biblioteca Parque Villa-Lobos, instituição gerida pela ONG SP Leituras. 

No dia da inauguração, tem início uma série de debates sobre coleções particulares de arte contemporânea ao redor do mundo. As discussões são fruto de uma pesquisa desenvolvida por Nei Vargas da Rosa na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, resultado de uma bolsa concedida pelo Instituto de Cultura Contemporânea, também financiado por Almeida.

Ao longo de cinco dias, os encontros reúnem 30 convidados especialistas em arte.

Erramos: o texto foi alterado

Diferentemente do que informava uma versão anterior do título desta reportagem, o novo centro cultural não fica dentro do Parque Villa-Lobos, mas próximo à sua entrada.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.