The Jacksons tocarão músicas de seu irmão Michael no Brasil

Irmãos com quem o astro do pop começou a sua carreira ainda criança se apresentam em São Paulo e Porto Alegre

Ivan Finotti
São Paulo

​​“Ele não responderá questões sobre Michael Jackson, acusações de abuso infantil e o documentário que acaba de ser lançado.” Essa foi a exigência do vocalista e percussionista Jackie Jackson, repassada pela assessoria de imprensa, para que concedesse uma entrevista à Folha.

​O assunto, portanto, teria que ser restrito aos shows que Jackie, 67, e dois de seus irmãos, Tito, 65, e Marlon, 62, realizam neste sábado (16), em São Paulo, e na terça (19), em Porto Alegre. Jermaine, 64, cancelou sua participação na última hora por problemas de saúde.

Eles voltam ao Brasil após 45 anos, quando fizeram uma turnê com sete datas pelo país, em setembro de 1974.

Desde 1976, o grupo chama The Jacksons. Mas foi como The Jackson 5 que os  irmãos despontaram em 1965 e se tornaram um dos maiores vendedores de discos no início dos anos 1970. 

Na época, um Michael Jackson (1958-2009) criança assumia a frente do quinteto. Mais tarde, sairia Jermaine e entraria um sexto irmão, Randy, morto em 2001.

“Ninguém nunca havia visto pessoas do nosso tamanho sendo tão profissionais no palco”, conta Jackie, tentando explicar a razão do fenômeno que ficou conhecido como Jacksonmania. 

Quando seu primeiro single foi lançado, em outubro de 1969, Michael tinha acabado de completar 11 anos. Jackie, aos 18, era o mais velho.

“Havia diversos grupos negros muito profissionais naquela época”, continua Jackie, quando a conversa resvala para nomes como The Supremes (que contava com Diana Ross), The Four Tops e The Temptations

“Mas o fato de sermos cinco irmãos de verdade era uma coisa única. Aprendemos muito com essas bandas. Mas nós tínhamos outra coisa única, além da irmandade: Michael e sua dança.”

Para não falar de sua voz. Era ela que embalava aquele primeiro single, “I Want You Back”, e também os outros três hits que alcançaram o número 1 da parada americana em sequência: “ABC”, “The Love You Save” e “I’ll Be There”.

A produção dos Jackson 5 naquele primeiro ano de carreira discográfica foi impressionante. Em um período de 10 meses, o grupo de Indiana lançou quatro LPs, todos pela mítica gravadora Motown. São eles “Diana Ross Presentes The Jackson 5” (dezembro de 1969), “ABC” (maio de 1970), “Third Album” (setembro de 1970) e ainda “Jackson 5 Christmas Album”, apenas com canções clássicas de Natal, em outubro de 1970.

“Trabalhamos tão duro”, recorda-se Jackie. “Foi como a Beatlemania, uma explosão. Foi difícil ser uma pessoa normal com tudo isso aos 16, 18 anos. Tínhamos tutores que nos acompanhavam para estudarmos enquanto continuávamos em turnê.”

A Jacksonmania continuou com o licenciamento de dezenas de produtos, incluindo um jogo de tabuleiro e um desenho animado, “The Jackson 5ive” que teve 23 episódios em duas temporadas e era exibido nos EUA nas manhãs de sábado. 

“Devemos exibir cenas desses desenhos em nossos shows do Brasil”, conta Jackie. “É um show de muita energia, com o público cantando e dançando com a gente. Damos o nosso melhor em uma hora e meia e, é claro, tocamos os grandes sucessos, como ‘I Want You Back’ e ‘ABC’.”

Além das canções dos Jackson 5, os Jacksons têm apresentado duas ou três canções da carreira solo de Michael. Não são os megahits do cantor, como “Billie Jean”, mas uma vem do álbum “Off the Wall” (1979), chamada “Rock with You”.

E a outra é “Wanna Be Startin’ Somethin’”, abertura do disco “Thriller” (1982), que aparece no finzinho da apresentação.

 

Os Jacksons têm excursionado regularmente pelo mundo há sete anos, desde 2012, quando se reuniram para o terceiro aniversário da morte de Michael. “Aqueles shows, a turnê quando perdemos nosso irmão, nós fizemos como um tributo. Michael aparecia nos telões e as pessoas choravam. Tínhamos ele ali em espírito”, diz Jackie.

Antes disso, a última turnê havia acontecido 28 anos antes, em 1984. E dez anos antes disso, os Jackson 5 se apresentaram em São Paulo (no Anhembi), Rio, Brasília, Porto Alegre e Belo Horizonte.

A viagem foi um tanto tumultuada, com adiamentos e vidros do ônibus quebrados. A Folha esteve numa entrevista coletiva na ocasião e relatou: “Os integrantes do grupo mostravam-se cansados e pediram que as perguntas fossem feitas rapidamente (...), deixando as mais difíceis para o pai”.

 

 Um minuto e 40 segundos de uma exibição na televisão brasileira sobreviveu e pode ser assistida no YouTube (busque “jackson 5 tv tupi”). 

Jackie, que desde então não havia retornando ao Brasil, se recorda da passagem: “Me lembro de lindas praias e de uma estátua enorme de Jesus Cristo”.

Shows

The Jacksons

Variado
até R$620

Os irmãos Jackie, Jermaine, Marlon e Tito Jackson, remanescentes da banda que revelou Michael Jackson na década de 1970 com a famosa gravadora Motown Records, apresentam-se pela primeira vez no Brasil. No setlist, passam por sucessos como

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.