Descrição de chapéu Livros Flip

Carmen Maria Machado, autora de fantasia feminista, é confirmada na Flip

Com contos que abordam inquietações de minorias, americana é o sexto nome do evento

Caio Delcolli
São Paulo

Uma mulher tem uma fita verde em volta do pescoço e se recusa a explicar o porquê ao marido. Outra conta com impessoalidade as experiências sexuais que teve com homens e mulheres, enquanto o mundo é devastado por uma epidemia. Após sofrer abuso sexual, uma terceira começa a ouvir pensamentos de atores pornô.

As personagens são algumas das narradoras de "O Corpo Dela e Outras Farras", livro de contos que marca a estreia de Carmen Maria Machado. E agora esse universo irá desembarcar no Brasil. A americana é a sexta autora confirmada na Flip (Festa Literária Internacional de Paraty), que ocorre na cidade fluminense de 10 a 14 de julho.

Elogiado pela crítica internacional, o livro é uma coletânea de narrativas que migram entre a fantasia, a ficção científica e o terror, sempre com uma abordagem feminista e despreocupada com convenções de gênero. Em 2017, tornou-se finalista do National Book Award de ficção.

A escritora Carmen Maria Machado
A escritora Carmen Maria Machado - Art Streiber/AUGUST/Reprodução

A obra foi lançada pouco antes do início do movimento #MeToo, em que centenas mulheres têm denunciado assédios e abusos sexuais. "Meu livro não é relevante por causa disso, mas porque mulheres têm experiências difíceis. São coisas que já vivi e sobre as quais quis escrever", diz a escritora de 32 anos em entrevista à Folha, de seu apartamento na Filadélfia (EUA), onde mora com a esposa.

Embora encare o #MeToo como importante, a escritora diz não acreditar que ele seja suficiente para acabar com a desigualdade de gênero. "Homens não têm incentivo para abrir mão do poder —então, por que o fariam?", questiona.

Os contos de "O Corpo Dela e Outras Farras" juntam-se à atual tendência da cultura pop de usar a ficção especulativa para abordar inquietações políticas de minorias.

A conexão com um certo ar dos tempos fez com que a obra entrasse em processo de adaptação para uma série de TV feita pelo canal FX. "O projeto ainda é um feto", conta com uma gargalhada.

A produção ainda não tem data de estreia, elenco ou diretores confirmados. Entretanto, diante do atual debate sobre assédio e violência sexual, Carmen acredita que a série vem em momento oportuno.

"O crescimento da direita e do fascismo ao redor do mundo faz desta época um tempo difícil para ser alguém com qualquer tipo de vulnerabilidade. Se você é mulher, queer ou não branco, está encrencado. Isso é assustador", analisa.

Descendente de cubanos, ela nasceu em Allentown, na Pensilvânia, e cresceu lendo Angela Carter, Shirley Jackson, Ray Bradbury e Gabriel García Márquez. Depois, fez mestrado em escrita criativa e publicou ensaios e contos em revistas como New Yorker, Tin House e Granta.

Atualmente, dá aulas de literatura na Universidade da Pensilvânia e diz que mal pode esperar pelo início do curso sobre casas assombradas que irá ministrar. As turmas estão cheias.

Em seu novo livro, com o título em inglês de "In the Dream House" (na casa do sonho), a autora discute a violência doméstica no mundo LGBT, misturando memórias dos abusos que sofreu e ensaios cujos temas vão desde contos de fadas até "Star Trek". Por enquanto não há previsão de lançamento no Brasil.

"É um livro esquisito, difícil de descrever", tenta explicar.

O Corpo Dela e Outras Farras

Autora: Carmen Maria Machado. Trad.: Gabriel Oliva Brum. Ed. Minotauro. R$ 55,99 (240 págs.)

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.