Flavia Aranha celebra matérias primas brasileiras em estreia na SPFW

Grife explora tons de vermelho extraídos de pau-brasil, orucum e crajiru

São Paulo

Conhecida por seu trabalho com tingimentos naturais, Flavia Aranha estreou na São Paulo Fashion Week com uma coleção baseada em seu estilo “slow fashion” – feita sem a pressa característica do mercado.

O início do desfile foi todo preenchido por looks em tons crus, segundo ela, uma metáfora sobre como o Brasil apaga suas memorias ancestrais.

Paulatinamente, os crus se transformaram em ocre e, depois, vermelhos fulgurantes, extraídos de cascas de pau-brasil, orucum e crajiru, todas nativas do solo brasileiro.

Aranha destila toda sua expertise em modelagem lançando mão de tecidos naturais, como a palha de seda da tecelagem O Casulo Feliz, e uma fibra de malva que simula o linho.

Fluidas, as amarrações que sempre permearam a criação da estilista, aparecem em vestidos decotados, calças amplas e tops transpassados.

Pinceladas de vermelho sobre base branca simulavam uma tela a ser preenchida, que, à medida que o desfile evoluía, ganhava tons mais fortes.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.