Descrição de chapéu Televisão Cinema

TV Cultura terá filmes de ficção e documentários brasileiros premiados

Programação fará parte da faixa Sala de Cinema, feita em parceria com a Spcine

Aristides de Sousa em cena do filme Arábia, de João Dumans e Affonso Uchoa
Aristides de Sousa em cena do filme "Arábia", de João Dumans e Affonso Uchoa - Divulgação
São Paulo

Filmes brasileiros recentes, consagrados em festivais nacionais e estrangeiros, ganharão espaço semanal na TV Cultura a partir desta quarta (1º). Sempre às 22h30, a faixa “Sala de Cinema” terá longas de ficção ou documentários, premiados e inéditos.

Ao todo, serão exibidos 36 títulos, selecionados em um edital feito em parceria entre a Spcine, empresa paulistana de fomento ao audiovisual, e a Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo.

“O Brasil tem uma grande produção audiovisual, mas muitos desses filmes têm dificuldade de achar um espaço de exibição, seja no cinema seja na TV aberta”, afirma Laís Bodanzky, presidente da Spcine. “O edital veio para unir a produção e o grande público.”

Ingrid Guimarães abre a programação. Mas desta vez longe das comédias rasgadas que lhe fazem a fama. Na dramédia de estrada “Entre Idas e Vindas” (2016), ela faz o papel de uma atendente de telemarketing que parte numa viagem de carro com as amigas. No trajeto, dão carona a um sujeito (Fábio Assunção) que leva o filho para rever a mãe.

Um dos destaques da programação é “Arábia”, de João Dumans e Affonso Uchôa, que será exibido no segundo semestre. O drama, vencedor do prêmio de melhor filme no Festival de Brasília, traz 
um olhar sobre a subjetividade de um operário mineiro.

“Joaquim”, do pernambucano Marcelo Gomes, competiu pelo Urso de Ouro no Festival de Berlim em 2017 e também está na programação. O longa, que será exibido em 3 de julho, imagina o que teria sido o amadurecimento político do inconfidente Tiradentes.

Entre documentários, o destaque é “Sabotage: O Maestro do Canão”, de Ivan 13P, que recupera a trajetória do rapper paulistano, morto em 2003.

Outros títulos incluem híbridos de ficção e documentário. É o caso de “Era o Hotel Cambridge”, de Eliane Caffé, sobre uma ocupação no centro de São Paulo, “Castanha”, de Davi Pretto, que aborda a vida de um transformista de Porto Alegre, e “Vermelho Russo”, de Charly Braun, a respeito de duas atrizes 
que se aventuram num curso de interpretação na Rússia. 

Sala de Cinema
Quartas, às 22h30, na TV Cultura

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.