Alzira E relembra parcerias com Itamar em palco da Virada Cultural

Com Maria Gadú, cantora encerra programação no Copan dedicada ao músico no domingo

Thales de Menezes
São Paulo

A cantora Alzira E vai encerrar na tarde deste domingo (19), às 16h30, no edifício Copan, a programação de um dos palcos mais atraentes da Virada Cultural. Ela resgata sua parceria com Itamar Assumpção no último dos nove shows que prestam homenagem ao cantor e compositor morto em 2003.

No elenco de artistas convocados para o palco pela filha de Itamar, a também cantora Anelis Assumpção, Alzira tem muito a oferecer. Parceiros de palco desde muito jovens, a relação dela com o artista começou em disco no início dos anos 1990, quando ele produziu o segundo álbum de Alzira, “AMME”.

O resultado mais recente dessa parceria veio em 2014, quando Alzira lançou “O que Vim Fazer Aqui”, com 11 faixas de canções dela com Itamar, que vão servir de base para o show na Virada. A apresentação terá participação especial de Maria Gadú.

“Fiquei muito feliz quando a Anelis resolveu montar esse projeto dos 70 anos de Itamar, que ele completaria em 13 de setembro”, conta Alzira. “Como é um palco grande, com muita estrutura, fiz um reforço na banda. Vamos tocar pela primeira vez esse material com baterista, e chamei o Curumin. Tocam também Peri Pane, Marcelo Dworecki e Gustavo Cabelo, que gravaram o disco comigo, e o Luiz Chagas na segunda guitarra.”

A primeira ideia de Alzira foi convidar Ney Matogrosso. “Pensei nele porque está cantando em seu show duas músicas desse meu repertório com Itamar. Ele é muito próximo dessa parceria e queria muito participar, mas sua agenda tinha show em Vitória no sábado. Impossível pegar um avião no domingo para chegar a tempo.”

A cantora Alzira E em show da banda CORTE no Festival Psicodália 2019
A cantora Alzira E em show da banda CORTE no Festival Psicodália 2019 - André Donadio/Divulgação

Ela diz que seu encontro com Maria Gadú foi “uma revelação”. “Nunca tinha feito nada com a Gadú, a não ser assistir a shows dela. Admiro muito, uma cantora sensacional, uma musicalidade nata. Ela aceitou, fizemos ensaios, e foi surpreendente ver a intimidade que tem com a música do Itamar, e também a nossa intimidade. Sabe quando bate o santo? As nossas vozes supercombinaram.”

Alzira vai chamar Gadú para o palco na segunda parte do show, quando devem cantar pelo menos quatro músicas. Duas são parcerias de Itamar com a poeta Alice Ruiz, “Tristeza Não” e “Sei dos Caminhos”, enquanto outra é da dupla com colaboração de Alzira, “Já Sei”.

“Tem uma música que eu escolhi de coração, porque bateu saudade mesmo. É ‘Eu Tenho Medo’, que cantava com Itamar nos anos 1990. Gadú gostou tanto da canção que resolvemos cantar juntas no show.”
A apresentação vespertina pode ter surpresas. “Ficamos soltas para o improviso. Vai ser ótimo. Essa é mais uma alegria que o Itamar me traz. Ele não sai da minha vida um único dia. Gosto de cantar nossas parcerias, e tenho a felicidade de vários encontros provocados pela música dele. E amo minha intimidade com a família dele, eu me sinto muito dentro da família Assumpção.”

Alzira conta que 2019 está se oferecendo como um ano cheio para ela. O grupo Corte, que ela formou ao lado de músicos conhecidos de bandas da cena paulistana, como Bixiga 70, já tem prontas músicas para o segundo lançamento, dois anos depois do elogiado disco de estreia.

“Nenhum dos cinco integrantes da banda acredita mais em CD. Queremos fazer um disco virtual, mas completo, com encarte. Por que insistir no CD? Não tive de dar um CD de ‘O que Vim Fazer Aqui’ para a Gadú, ela já conhecia o álbum de trás para a frente pela internet. O CD fica caro para fazer e depois você tem de perguntar se a pessoa aceita um de graça! Uma loucura! Para que tanto esforço e dinheiro?”

No entanto, a cantora fala com orgulho de um lançamento em CD físico, que deve sair entre julho e agosto. É “Recuerdos”, novo álbum com a irmã, Tetê Espíndola, pelo SeloSesc. “É a gente revisitando as origens, a consagração de duas compositoras que vieram de Mato Grosso do Sul. E tem o Ney cantando guarânia, o que ele nunca fez.”

Há boas notícias também para os fãs de Itamar Assumpção. “Por causa de um filme que está sendo produzido sobre a minha vida, voltei a escutar fitas muito antigas e achei algumas coisas inéditas do Itamar. Parece que a gente não se larga mesmo.”


Palco Itamar 70 na Virada Cultural

7h30 Orquídeas do Brasil com Chico Chico

10h30 Anelis Assumpção convida Tulipa Ruiz e Negro Leo

13h30 Arrigo Barnabé e Claras & Crocodilos

16h30 Alzira E convida Maria Gadú

Outros destaques deste domingo

9h Aline Barros no palco Anhangabaú

9h30 Chico Cesar no palco São João

12h Anitta no palco Anhangabaú

13h30 Arrigo Barnabé no palco Copan

15h Fernanda Abreu no palco Barão de Limeira

17h Naiara Azevedo no palco Luz

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.