Com fotografia, performance e pintura, mostra traz obras feitas a partir do nu

'Corpo Dado' reúne dez artistas, entre eles a cartunista Laerte Coutinho, que fazem discussão de gênero e diversidade

São Paulo

​A mostra ‘Corpo Dado’ tem como ponto de partida uma obra do pintor Iberê Camargo (1914-1994), que mostra um senhor de idade avançada nu. Mesmo se tratando de um estudo, foi um dos primeiros desenhos de modelo vivo realizados pelo artista, em 1942.

Aberta ao público desde o dia 23 de maio, na Galeria Aura, a exposição reúne trabalhos de dez artistas que atualizam as práticas de modelo vivo e trazem uma discussão de gênero e diversidade.

Com curadoria de Lucas Pexão e Marcilia Brito, os trabalhos reúnem diferentes métodos que vão da fotografia à performance, passando também pela pintura. 

Além de Iberê Camargo, a cartunista Laerte Coutinho é outro nome conhecido da amostra, que expõe seus desenhos de modelos vivos transexuais. Ela é quadrinista da Folha e suas tirinhas, Piratas do Tietê, são publicadas seis dias da semana. É autora também de um quadrão mensal na Ilustrada, além de uma charge às terças-feiras na página A2. 

Seu filho, Rafael Coutinho, também participa da mostra ao lado dos artistas Pedro Ivo Verçosa, Mariana Poppovic, Julia Linda, Thany Sanches, Diego Almeida, Helena Marc, Luca Parise e Helena Obersteiner.

Corpo Dado
Ter. a sex., das 10h às 19h e sab. das 11h às 17h, na Galeria Aura (rua Wisard, 397, São Paulo). Grátis. Até 06/07

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.