Descrição de chapéu Livros

Com muito humor, livro de história traça paralelos entre o Brasil do passado e o atual

Obra fala de assuntos que vão desde antes da chegada dos portugueses ao Brasil até fenômenos na internet

Retratos do Imperador dom Pedro 2º, em 1875
Retratos do Imperador dom Pedro 2º, em 1875 - R. H. Klum/Reprodução
Flávia Boggio

“Um povo sem memória é um povo sem história. E um povo sem história está fadado a cometer, no presente e no futuro, os mesmos erros do passado.” Por mais célebre que seja a frase da historiadora Emília Viotti da Costa, muitos estudantes ainda fogem dos livros de história por acharem os textos densos e monótonos.

O livro “Breve História Bem-Humorada do Brasil”, escrito pelo jornalista Ricardo Mioto, prova que é possível introduzir os principais acontecimentos do país de um jeito leve e bem-humorado.

A capa, com um dom Pedro 2º com corte de cabelo de barbearia gourmet e tatuagens hipsters, já dá uma pista do tom do livro. Mioto usa muito humor e referências pop para falar de assuntos que vão desde antes da chegada dos portugueses ao Brasil até fenômenos na internet como Orkut e Facebook.

Dividido pelos capítulos “Colônia”, “Império” e “República”, o trunfo do livro é justamente traçar paralelos entre acontecimentos do passado e elementos atuais. Para falar dos índios no Brasil antes de Cabral, o autor conta que a ausência de escrita dificulta o estudo desses povos. Mas também poupou os nativos de infortúnios, como ler comentários políticos nas redes sociais.

A carta de Pero Vaz de Caminha, conhecida por sua comicidade involuntária, fica ainda mais engraçada com os comentários de Mioto. Sob título de “Se Liberta, Pero Vaz”, o autor conta como o escrivão de Pedro Álvares Cabral era vítima da repressão do catolicismo ibérico, por chamar as partes íntimas dos índios de “vergonhas”. Mas que, logo depois, convidaram alguns habitantes locais para passar a noite no navio, o que deixa claro que tem coisa na carta que Vaz de Caminha não quis contar ao rei.

O início do capítulo “República” já vem com spoilers, porque muita gente não sabe que, em pouco mais de um século, a República teria duas ditaduras, sete constituições, quase uma dezena de presidentes tirados do poder e o Congresso dissolvido diversas vezes. A história do Brasil é mais emocionante do que muita série.

Como diz o subtítulo, “A Jornada Extraordinária e Épica de um País Atrasado do Século 16 para se Tornar um País Atrasado do Século 21”, o livro aborda até fatos trágicos, como o Golpe de 64. Mas o humor, além de divertir, é uma excelente ferramenta para levantar temas relevantes, compreender erros ao longo da nossa história e, como disse a professora Emília Viotti da Costa, não repeti-los. Citando outra frase famosa, agora de Mark Twain, “humor é tragédia mais o tempo”.

Ricardo Mioto é jornalista e curitibano “não praticante”, brinca na biografia. Trabalhou por sete anos 

na Folha, onde foi repórter de economia, editor de Ciência e de Opinião. Atualmente é diretor da agência de comunicação FSB.

Breve História Bem-Humorada do Brasil

  • Preço R$ 29,90 (238 págs.)
  • Autor Ricardo Mioto
  • Editora Record
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.