Obra de Caravaggio é vendida a comprador misterioso antes de leilão

Quadro é estimado em 150 milhões de euros, mas valor não foi divulgado por acordo de confidencialidade

Toulouse (França) | Reuters

Um comprador misterioso estrangeiro arrematou uma pintura de autoria do mestre italiano Caravaggio, que havia sido descoberta há cinco anos em um sótão francês, antes que ela fosse a leilão, afirmou a casa de leilões nesta terça-feira (25). 

O quadro, cujo valor estimado era de até € 150 milhões, data de 1607 e retrata a heroína bíblica Judite decapitando o general assírio Holofernes. 

O leilão de "Judite e Holofernes" havia sido marcado para o dia 27 de junho na cidade francesa de Toulouse. A obra foi encontrada em 2014 pelos proprietários de uma casa em Toulouse enquanto eles investigavam um vazamento no sótão. 

"A pintura foi vendida de maneira privada a um comprador estrangeiro", disseram em nota a casa de leilões Marc Labarbe e um especialista em arte em nota. "Essa venda é coberta por um acordo de confidencialidade em relação ao preço e à identidade do comprador."

A obra deixará o solo francês e será exibida em um "grande museu" que não foi identificado, disseram os leiloeiros. 

A obra, que foi mantida no sótão por pelo menos cem anos, passou por análises exaustivas e inicialmente secretas para que sua autenticidade fosse conferida e está, surpreendentemente, em boas condições, segundo especialistas. 

A pintura é a segunda de Caravaggio a retratar a decapitação de Holofernes por Judite. A primeira, que data de aproximadamente 1600, está em exibição no Palácio Barberini, em Roma. 

Johanna Decorse, Michaela Cabrera e Luke Baker
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.