Descrição de chapéu Televisão

'Quero fazer um programa popular, humor para o povão entender', diz Hassum

Em novo talk show, ator recebe nomes como Adriane Galisteu, Luciana Gimenez, Maisa Silva, Tirulipa e Whindersson Nunes

Tony Goes
São Paulo

Leandro Hassum engordou. Depois de despencar de 150 quilos para apenas 85, graças a uma cirurgia bariátrica, o ator agora pesa 92 quilos. Prestes a completar 46 anos, também está sem os sulcos que surgiram em seu rosto depois que emagreceu drasticamente. Fez preenchimento e harmonização facial na clínica estética de que é sócio, em Windermere, na Flórida.

Hassum vive há anos nesta pequena cidade da região de Orlando e nem tem mais endereço fixo no Brasil, mas é presença constante nas telas nacionais. Ainda aparece na Globo, na nova versão da “Escolinha do Professor Raimundo”. Nos cinemas, está em cartaz com “Simonal”, em que faz Carlos Imperial, e, a partir do dia 29 de agosto, com a comédia “O Amor Dá Trabalho”.

Leandro Hassum ainda estreia no dia 27 deste mês seu primeiro programa de TV depois que encerrou seu contrato com a Globo, onde trabalhou por 21 anos. 

É o talk show semanal “Tá Pago”, na TNT. Num cenário que imita um restaurante, o agora apresentador receberá, a cada um dos 15 episódios, quatro convidados para jantar. Nomes como Adriane Galisteu, Luciana Gimenez, Maisa Silva, Tirulipa e Whindersson Nunes já gravaram participações. Como de costume, a Globo não liberou nenhum de seus contratados.

O convite da nova casa surgiu em maio passado, poucos dias depois de anunciada sua saída da antiga emissora. O ator garante que a decisão de não renovar o contrato partiu de ambas as partes. 

“Eu propus à Globo um casamento aberto. Quando pintar algo interessante, eles me chamam”, disse Hassum. “O mercado está sedutor, com muitos canais e plataformas digitais. Tem muitas possibilidades.” Alguma na Netflix? “Digamos que nós estamos namorando.”

Antes campeão absoluto das bilheterias nacionais, Hassum não repetiu com seus últimos filmes o desempenho de títulos como “Até que a Sorte nos Separe” ou “O Candidato Honesto”. Alguns críticos dizem que ele perdeu a graça depois que emagreceu. Nas redes sociais, chegou a ser acusado de gordofobia.

“Tem gente que realmente se sente viúva da minha barriga. Eu mesmo sempre me achei um gordo charmoso. Mas uma coisa é ser gordinho e a outra, obeso mórbido. Depois dos 40, comecei a me preocupar com a saúde. Fiz a operação para ter mais qualidade de vida, não por razões estéticas.”

O talk show “Tá Pago” foi criado pela produtora Chango, combinando quadros de diferentes formatos internacionais. O resultado é uma versão contemporânea do antigo “Almoço com as Estrelas”, em que anfitriões e convidados comiam e bebiam para valer.

“Só impus uma condição à TNT: quero fazer um programa popular. Humor para o povão entender. Sinto falta disso na TV de hoje. “A Praça É Nossa” [do SBT] é o único humorístico que nunca traiu sua proposta original. Tem trocadilhos capciosos, tem quadro para o vovô, o netinho, a família toda.”

Mas então o “Zorra”, da Globo, traiu a proposta? A nova versão do extinto “Zorra Total” foi repaginada por Marcius Melhem, com quem Hassum formou durante anos a dupla Caras-de-Pau, protagonista de uma série de sucesso.

“Ele está conseguindo apresentar, em alguns momentos, uma coisa nova. Mas a velocidade dos quadros às vezes se distancia do popular. Eu rio, mas eu não consigo ver a minha mãe rindo.”

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.