Graças a empréstimo, Masp passa a ser museu com maior número de Tarsilas

Com 'Composição (Figura Só)', instituição passa a ter cinco telas da artista brasileira

Obra 'Composição (Figura Só)', de Tarsila do Amaral (1930)

Obra 'Composição (Figura Só)', de Tarsila do Amaral (1930) Divulgação

São Paulo

​Depois da exposição "Tarsila Popular" bater recorde de público da história do Masp e desbancar Claude Monet, as mais famosas obras da artista tiveram de voltar para suas paredes de origem.

Queridinha da exposição, por exemplo, a tela "Abaporu" (1928) pertence ao acervo do Malba, de Buenos Aires. Mas ainda assim, o museu da avenida Paulista é o que soma o maior número de obras da modernista brasileira, com cinco quadros.

Isso graças à mais recente novidade: a tela "Composição (Figura só)", que também esteve na exposição, e que agora foi concedida por três anos pelo colecionador Ronaldo Cezar Coelho. 

O quadro foi pintado em 1930, mesmo ano em que o marido e parceiro intelectual de Tarsila, Oswald de Andrade (1890-1954), a abandonou por Pagu, a escritora Patrícina Rehder Galvão (1910-1962).

Além de "Composição (Figura Só)", há "Trabalhadores" (1938), "Porto 1" (1953), "Autorretrato com Vestido Laranja" (1921) e "Estudo (Nu)", de 1922. As obras devem subir para o segundo andar, para serem expostas nos cavaletes de vidro, nos próximos meses.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.