Escritora gaúcha Claudia Tajes é a nova colunista da Ilustrada

Aos 56 anos, a roteirista escreveu 11 livros e já construiu vários tipos de mulheres

O momento G.H. de Dulce, encurralada por uma barata; a vida amorosa da feiosa Ju; a juventude e a idade da loba de Maria Ana; a curiosidade atrapalhada de Graça. São muitas as mulheres de Claudia Tajes. 

A escritora e roteirista gaúcha de 56 anos que, em 11 livros, já construiu vários tipos de mulheres, faz sua estreia nesta segunda (23) como colunista da Ilustrada. Ela se junta a Manuela Cantuária e Flávia Boggio e será a terceira mulher a ocupar o espaço de humor do caderno.

“As pessoas acham que humor é fácil, que basta chegar ali e fazer uma piadinha”, diz Tajes. “Mas tem muito raciocínio, o texto de humor pode ser bem infeliz ou sem graça.”

Para ela, o convite para ocupar o espaço é o reconhecimento de um trabalho que não é muito valorizado, o da mulher que escreve humor. Ela lembra, porém, que cada vez mais há mulheres na área, na televisão e na internet.

A escritora e roteirista Claudia Tajes é a nova colunista da Ilustrada - Marcos Nagelstein

“Não existe assunto para mulher, qualquer assunto é para homem, para mulher, para todo mundo”, diz.
Tajes, que é roteirista na Globo e colunista do jornal Zero Hora, de Porto Alegre, trabalhou por anos como redatora publicitária e, em 2000, publicou seu primeiro livro. Ela é autora de, entre outros, “As Pernas de Úrsula” (L&PM).

Ela conta que, desde o momento em que soube que teria uma coluna na Ilustrada, teve muitas ideias. “Nesse momento que a gente está vivendo, não há assunto leve”, afirma.

“Eu gostaria de poder falar de tudo o que está acontecendo [no país], uma grande piada de mau gosto.” A escritora lança neste ano o romance “Macha”, sobre uma mulher que, tal qual Gregor Samsa, mas um pouco diferente, acorda um dia transformada não em um animal. Mas em homem.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.