Descrição de chapéu Livros

Regredimos na habilidade de nos relacionarmos, diz leitor de mentes

Best-seller Henrik Fexeus, convidado da Bienal do Livro, fez fama adivinhando o pensamento a partir de gestos do corpo

Ivan Finotti
Rio de Janeiro

O sueco Henrik Fexeus lê mentes. Mas não se trata de adivinhar os pensamentos do outro, e sim de perceber a linguagem corporal para revelar aquilo que o interlocutor está realmente pensando.

É o que ele propõe ensinar a qualquer um que leia seu livro “A Arte de Ler Mentes”, que já teve 1 milhão de exemplares vendidos pelo mundo. No Brasil, a obra chegou a mais de 100 mil, segundo a editora Best Seller, do grupo Record. O subtítulo do livro, publicado aqui no passado, é “Como interpretar gestos e influenciar pessoas sem que elas percebam”.

homem de terno
O mentalista sueco Henrik Fexeus, autor de 'A Arte de Ler Mentes' e 'Habilidade Social' - Divulgação

Agora, ele veio ao Brasil para lançar seu último livro de auto-ajuda, “Habilidade Social”, que, diferentemente do primeiro, usa também o diálogo como matéria-prima. “Neste livro, você vai encontrar as ferramentas para lidar com qualquer situação social com que se deparar. Seja ela um bate-papo em uma festa de aniversário ou um conflito sério. Indo direto ao ponto, você vai adquirir habilidade social”, promete a obra.

Fexeus participou na sexta (30) da abertura da Bienal do Livro no Rio de Janeiro, que segue até o domingo (8). Nesta segunda (2), ele fala ao público paulistano e autografa seus livros na Livraria Cultura do Conjunto Nacional.

O autor trabalhava em marketing de eventos culturais há 15 anos quando resolveu transformar seu interesse em psicologia num modo de vida. “Eu achava que se 50 pessoas lessem meu livro, já estaria ótimo. Mas agora já passou de 1 milhão”, espanta-se.

“Essa é minha paixão”, diz ele. “Enquanto a maioria está assistindo a séries na Netflix, eu estou lendo obras de psicologia e filosofia. Por isso adquiri confiança para poder ensinar os outros a respeito disso.”

Fexeus se diz um mentalista, no sentido de performance. “É entretenimento. Eu posso criar a ilusão de ter uma habilidade sobrenatural de ler sua mente. Eu não tenho, mas posso fazer parecer que eu tenho. É uma coisa que tinha muito no século 19, em feiras ou em carroças itinerantes. Hoje, o mentalismo tem uma base de psicologia muito forte.”

“Na verdade, estamos todos lendo as mentes dos outros o tempo todo, de forma inconsciente. Mas estamos fazendo muito mal. Então quero ensinar as pessoas a melhorar esse tipo de leitura. Usar esse conhecimento para entender melhor o que as pessoas estão tentando dizer a você.”

Quanto a “Habilidade Social”, ele se inspirou em sua infância, quando não era um rapaz muito habilidoso ao se relacionar com os outros. “O livro ensina desde como conversar com estranhos a solucionar problemas no trabalho.”

“Há muito estudo sendo feito sobre isso atualmente. E todos concordam que a única variável necessária para a humanidade ser feliz é o relacionamento mais próximo entre pessoas. Se você não tem isso, não será feliz em sua vida.”

“É importante dizer também que, pela primeira vez na história, nós estamos regredindo na habilidade de nos relacionarmos com os outros. As redes sociais são uma das responsáveis por isso. A tecnologia é outra. Não temos mais tempo para nada. Estamos perdendo as habilidades que temos para produzir nossa própria felicidade.”

Ao final, Fexeus analisou a linguagem corporal do repórter: “Você está com uma perna sobre a outra. Se ler um livro clássico do assunto, vai dizer que você está levantando uma barreira contra mim e que está desconfortável. Entretanto, há o fato de que você tem que segurar seu gravador e está usando a perna como apoio. Também está virado para mim e mantendo contato olho a olho. Todos esses são sinais clássicos de que você é um ouvinte interessado.”

Habilidade Social

  • Quando 19h de segunda (2)
  • Onde no teatro Eva Herz, na Livraria Cultura do Conjunto Nacional (av. Paulista, 2.078), em São Paulo
  • Preço 39,90 (280 págs) e R$ 29,90 (e-book)
  • Autor Henrik Fexeus
  • Editora Best Seller

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.