Descrição de chapéu Livros

Autora de 'Vida Invisível' e imortal da ABL são finalistas do Prêmio São Paulo

Entre os selecionados estão ainda três concorrentes do Jabuti e vencedora do ano passado

São Paulo

​O Prêmio São Paulo de Literatura divulgou, nesta sexta (18), os finalistas da edição deste ano do troféu literário.

Entre os dez selecionados para a categoria principal, de melhor romance de 2018, aparece a vencedora do ano anterior. A carioca Ana Paula Maia, que ganhou com “Assim na Terra como Embaixo da Terra” (Record), volta para a lista. Desta vez, ela concorre com “Enterre Seus Mortos” (Companhia das Letras).

 

Ignácio de Loyola Brandão, eleito novo imortal da ABL (Academia de Letras Brasileira) em março deste ano, entra na disputa com seu romance “Desta Terra Nada Vai Sobrar, a Não Ser o Vento que Sopra” (Global). Cristóvão Tezza também concorre com “A Tirania do Amor” (Todavia) —o escritor também é um dos finalistas do Prêmio Jabuti com o romance.

Martha Batalha, autora de "A Vida Invsível de Eurídice Gusmão", que inspirou o filme "A Vida Invisível", de Karim Aïnouz, representante do Brasil no Oscar, entra na lista com seu novo romance "Nunca Houve um Castelo" (Companhia das Letras).

Até ano passado eram três categorias. Além da principal, eram selecionados um estreante com mais e outro com menos de 40 anos. Nesta edição, contudo, só será selecionado um autor, sem a distinção de idade. 

 

Entre os que fazem seu début, aparecem outros dois finalistas do prêmio Jabuti. Tiago Ferro concorre com “O Pai da Menina Morta” (Todavia) e Juliana Leite com "Entre as Mãos" (Record) —este último ainda conquistou o prêmio Sesc do ano passado.

Os vencedores ganham um prêmio de R$ 200 mil cada um. O resultado será anunciado em novembro.

Realizado pelo governo do Estado, o Prêmio São Paulo foi lançado em 2008. A cada edição, autores lusófonos e editoras brasileiras podem concorrer com obras editadas e comercializadas entre 1º de janeiro e 31 de dezembro do ano anterior.

Finalistas na categoria melhor romance de ficção de 2018
"A Biblioteca Elementar" (Record), Alberto Mussa
"Enterre Seus Mortos" (Companhia das Letras), Ana Paula Maia 
"Eufrates" (José Olympio), André de Leones
"Com Armas Sonolentas" (Companhia das Letras",  Carola Saavedra ​
"A Tirania do Amor" (Todavia), Cristóvão Tezza
"Espera Passar o Avião" (Todavia), Flavio Cafiero  
"Desta Terra Nada Vai Sobrar, a Não Ser o Vento que Sopra" (Global), Ignácio de Loyola Brandão 
"Nunca Houve um Castelo" (Companhia das Letras),  Martha Batalha 
"O Imortal" (Companhia das Letras), Maurício Lyrio
"Dora Sem Véu" (Alfaguara), Ronaldo Correia de Brito

Finalistas na categoria melhor romance de ficção de estreia de 2018
"Do Lado de Dentro do Mar" (Patuá), Daniela Stoll 
"Por Cima do Mar" (Patuá),  Deborah Dornellas
"Contra um Bicho da Terra tão Pequeno" (Filocalia), Érico Nogueira
"Desamparo" (Reformatório), Fred Di Giacomo
"Tudo Pode Ser Roubado" (Todavia), Giovana Madalosso
"O Infeliz das Costas Oca", Gustavo Linhares (Patuá)
"Entre as Mãos" (Record), Juliana Leite 
"Os Cadernos do Desencontro de Antônio Guerra" (Quelônio), Luciana Annunziata
"Anjo Negro" (Cepe), Paulo Schmidt
"O Pai da Menina Morta" (Todavia), Tiago Ferro 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.