Descrição de chapéu Cinema

Festival do Rio confirma edição deste ano após risco de cancelamento

Sem alcançar meta de R$ 500 mil em vaquinha virtual, evento foi adiado para período entre 9 e 19 de dezembro

Clara Balbi
São Paulo

O Festival do Rio confirmou a realização de sua edição este ano, que corria o risco de ser cancelada por falta de verba. Antes prevista para o período de 7 a 17 de novembro, ela agora acontecerá de 9 a 19 de dezembro.

O motivo do adiamento, segundo um comunicado da organização no Facebook, é "entregar a esse público fiel e ao cinema um evento de qualidade".

A confirmação acontece antes mesmo de uma vaquinha virtual lançada há um mês alcançar sua meta inicial de R$ 500 mil —faltam cerca de R$ 70 mil para o valor. Ela só garante a participação de 40 filmes estrangeiros e dez da Première Brasil, além da exibição da programação em cinco cinemas.

Já a segunda meta, de R$ 800 mil, aumenta para 50 o número de títulos estrangeiros e 30 os da Première Brasil, além de dobrar a quantidade de salas.

Fotografia publicada pela página oficial do Festival do Rio no Facebook
Fotografia publicada pela página oficial do Festival do Rio no Facebook - Reprodução/Facebook

Em setembro, a fundadora do festival, Ilda Santiago, afirmou em entrevista à Folha ​que, para reduzir custos, a ideia é apresentar uma programação "compacta", com no máximo 150 filmes.

Isso representa 50 títulos a menos em relação à última edição do evento, e metade dos 304 filmes que a Mostra de São Paulo, que concorre com a carioca pelo título de maior festival de cinema do país, exibe a partir do próximo dia 17.

Naquela mesma entrevista, Santiago disse que o crowdfunding não resolveria o problema do Festival do Rio. Segundo ela, o custo de produção do evento gira em torno de R$ 4,5 milhões. Destes, só foram captados até agora R$ 500 mil por meio da lei Rouanet.

O evento passa por dificuldades financeiras ao menos desde 2017, quando perdeu o apoio da Prefeitura do Rio de Janeiro. No ano passado, adiou o festival, tradicionalmente realizado em setembro, para novembro.

Ele também foi um dos muitos que sofreram com os cortes de patrocínio de projetos culturais anunciados pela Petrobras em abril deste ano. No ano passado, a estatal foi responsável por cerca de um terço, ou R$ 750 mil, do total de aproximadamente R$ 2,38 milhões que o evento conseguiu captar via Rouanet.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.