Descrição de chapéu Rock in Rio

No Rock in Rio, Panic! At the Disco mostra que não é mais banda emo

Com pop dançante com pé no EDM, banda tocou 'Bohemian Rhapsody' e fez multidão cantar junto

Lucas Brêda
Rio de Janeiro

Para o ouvinte mais desavisado, o Panic! at The Disco é uma banda emo, que fez sucesso nos anos 2000 com um pop punk radiofônico e estética gótica. Nesta quinta (3) de Rock in Rio, eles mostraram que, hoje, são um grupo pop.

Da formação original, de 2004, só sobrou o vocalista Brendon Urie, que toma para si todos os holofotes no palco. O setlist foi baseado nas músicas mais conhecidas desta década, desde o disco "Vices & Virtues", de 2011, até o mais recente, "Pray For the Wicked", do ano passado.

Brendon Urie, do Panic! At the Disco, em apresentação no Rock in Rio
Brendon Urie, do Panic! At the Disco, em apresentação no Rock in Rio - Adriano Vizoni/Folhapress

Com ajuda de instrumentos de corda e sopro, o Panic mostrou versões orgânicas de hits com um pé no EDM, como "Ready to Go" e "Girls/Girls/Boys". A apresentação teve momentos dançantes, com "Hey Look Ma, I Made It", "LA Devotee" e a sugestiva "Dancing's Not a Crime".

A banda também explorou seu lado mais teatral na dobradinha "Crazy = Genius" e "The Ballad of Mona Lisa". Urie não economizou em agudos extremos, em performances vocais sempre dedicadas, mesmo encontrando alguma resistência no público.

A recepção foi apenas morna. Muita gente parecia mais preocupada em guardar lugar para o Red Hot Chili Peppers, atração principal do dia. Mas havia muitos fãs perto do palco, em especial a plateia LGBTQ.

Apelando à conexão histórica do Queen com o Rock in Rio, o Panic puxou "Bohemian Rhapsody", clássico dos anos 1970 que o público recebeu com entusiasmo. A banda toca o cover desde as turnês do primeiro disco, "A Fever You Can't Sweat Out", de 2005, mas no festival a música ganhou contornos épicos com a multidão cantando junto.

Da fase emo, o Panic tocou apenas "Nine in the Afternoon" e "I Write Sins Not Tragedies", seus maiores hits dos anos 2000. A dose de nostalgia foi menor que a do Fall Out Boy, outro grupo que marcou o emo e tocou no palco principal do Rock in Rio, só que em 2017.O show acabou com "Say Amen" e "High Hopes", dois singles recentes.

Foi um reforço do potencial pop do Panic! at The Disco, que hoje se encaixaria melhor em um dia como o próximo sábado (5), que tem Anitta, Black Eyed Peas e P!nk, do que dividindo o line-up com Capital Inicial e Red Hot Chili Peppers.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.