Plataforma de streaming no Irã apaga mulheres de fotos em capas de discos

'Faço referência a vagina em todas as músicas então quem sai ganhando?', tuitou Iggy Azalea, sobre capa editada

Lucas Brêda
São Paulo

Um serviço de streaming de música do Irã está retirando imagens de mulheres das capas dos discos. Artes de singles e álbuns estão sendo publicados na plataforma, chamada Melovaz, com edições, recortes e trechos embaçados para não exibir fotografias de mulheres.

A história foi divulgada nas redes sociais por fãs de cantoras que tiveram capas censuradas. Diversas imagens comparando as artes com e sem as edições começaram a se espalhar pela internet ao longo da última semana.

capa de disco com e sem lady gaga
Comparação das capas da trilha sonora do filme 'Nasce Uma Estrela'. A foto que não tem Lady Gaga está no serviço de streaming Melovaz, do Irã - Reprodução

Essas mudanças nas imagens são extensões das rígidas leis do país para as mulheres. No Irã, por exemplo, as mulheres não podem aparecer em público sem o véu.

As artistas também têm limitações. Uma mulher não pode tocar instrumentos, nem se apresentar na TV ou em um palco. As cantoras também não podem ter carreira solo, limitando-se a ser backing vocal de homens ou participando de um coral.

No Melovaz, apenas as mulheres são censuradas das capas dos discos. Na trilha sonora do filme “Nasce Uma Estrela”, estrelada por Bradley Cooper e Lady Gaga, por exemplo, só o ator aparece na imagem a —cantora foi recortada.

Há diversos casos, como o disco mais recente da cantora Lana Del Rey, “Norman Fucking Rockwell”, em que o homem da imagem da capa continua aparecendo, mas a cantora foi retirada.

A única ocasião em que mulheres aparecem na plataforma são em capas de playlists. Na playlist “Feeling Good”, por exemplo, há uma mulher de calças jeans e com os cabelos soltos, sentada em um muro amarelo.

Várias playlists do Melovaz são idênticas às do Spotify, streaming de música mais popular atualmente no mundo. Elas inclusive aparecem com o logo da plataforma sueca, e também têm as capas importadas.

À Folha, a assessoria de imprensa do Spotify afirmou que a plataforma “não possui nenhuma relação com este site”. Já o Melovaz não retornou os contatos da reportagem.

Entre as cantoras que tiveram suas fotos censuradas estão nomes novos como Anitta, Camila Cabello, Nicki Minaj, Taylor Swift e Lizzo, mas também Madonna.

A americana Ariana Grande teve sua imagem retirada da capa do álbum “Thank u, Next”. A rapper australiana Iggy Azalea foi ao Twitter comentar o caso. “Eles que são a piada, porque eu faço uma referência a vagina em todas as músicas, então, na verdade, quem sai ganhando?”

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.