Governo deve trocar comando do Iphan e da Funarte até segunda

Mudanças seguem reforma no quadro da Secretaria da Cultura e em órgãos subordinados

O maestro Dante Mantovani
O maestro Dante Mantovani, que deve assumir a Funarte - Reprodução
São Paulo

O comando do Iphan e da Funarte deve ser trocado até segunda (2), seguindo uma reforma volumosa no quadro da Secretaria Especial da Cultura e órgãos subordinados à subpasta do Ministério do Turismo, hoje sob comando do dramaturgo e diretor Roberto Alvim.

No Iphan, o nome mais cotado para substituir Kátia Bogéa é o empresário Olav Schrader, formado em relações internacionais e ligado à Associação de Moradores de São Cristóvão, no Rio de Janeiro. Há menções a seu nome em eventos pró-monarquia no país.

Bogéa, que ele substituiria, é graduada em história pela Universidade Federal do Maranhão e especialista em historiografia brasileira e regional pela USP.

No página do Facebook do Movimento Brasil Real, que defende a restauração da monarquia no país, há um texto atribuído a Schrader que lamenta o incêndio no Museu Nacional (cujo nome é grafado todo em letras minúsculas e entre aspas). "Meu coração chora pois, no próximo dia 2 de setembro, terá passado exatamente um ano desde que o nosso Palácio do Brasil ardeu em chamas". "A grande Capela Imperial dentro do Palácio, derrubada à marretadas pela universidade para acomodar esqueletos de dinossauros, já nem em memória mais existe", e continua: "No iminente festival de morte travestida e de substituição por um museu que lá não nasceu e lá não deveria estar, no dia do esquecimento de quem somos, prefiro lembrar de Dona Leopoldina".

Cotado para assumir a Funarte, Dante Mantovani é maestro e doutor em estudos da linguagem pela Universidade Estadual de Londrina.

Em seu site oficial, ele afirma ter participado de grupos como o Coro Lírico da Associação Paraguaçuense Pró-Música, a Orquestra Filarmônica de Cordas de Londrina, o Coro Sacro da Paróquia Nossa Senhora da Paz e a Orquestra de Câmara de Paraguaçu Paulista, além de corais religiosos da Igreja Católica.

Além disso, Mantovani apresentou o programa "A Grande Música", na rádio Mão de Deus, de Caxias do Sul (RS), e dá palestras em instituições como a Academia Militar das Agulhas Negras.

No Facebook, o maestro postou um vídeo em que rege um coral, junto com o texto: "canto gregoriano em latim para crianças, é nisso que acredito".

Procurado, Mantovani não atendeu aos telefonemas da reportagem. A Folha não conseguiu localizar Schrader até a tarde desta quinta (28).

Bolsonaro tem ainda uma nova secretária do Audiovisual. É Katiane de Fátima Gouvêa, membro da Cúpula Conservadora das Américas, que realizou sua primeira conferência em dezembro, ciceroneada pelo deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP).

Também foram publicados no Diário Oficial da União desta quarta (27) outros cinco nomes para cargos na secretaria. Alguns desses novos integrantes já deram declarações controversas sobre a área da cultura.

Chegam ao governo secretários responsáveis pela promoção de diversidade cultural, de fomento e incentivo à cultura (à frente da Lei Rouanet), de economia criativa e da Fundação Palmares, além de um secretário adjunto especial. 

Alvim diz que só comentará as nomeações quando elas “forem perpetradas”, o que deve acontecer, segundo ele, até segunda (2). 

O jornalista Sérgio Nascimento de Camargo foi escolhido como o novo presidente da Fundação Palmares, órgão responsável por promover a cultura de matriz africana, ocupando o lugar de Vanderlei Lourenço, que havia sido nomeado em abril deste ano. 

Em seu perfil no Facebook, Camargo se define como “negro de direita, contrário ao vitimismo e ao politicamente correto”. Ele já afirmou que o Dia da Consciência Negra é “uma vergonha e precisa ser combatido” e que cotas raciais “são mais do que um absurdo”.

Já Camilo Calandreli substitui o administrador José Paulo Soares Martins, que havia integrado o extinto Ministério da Cultura no governo de Michel Temer, à frente da Secretaria de Fomento e Incentivo à Cultura. O órgão formula as diretrizes gerais dos mecanismos de fomento, entre eles, a Lei Rouanet.

Oriundo da música clássica, área em que atua como professor e cantor de ópera, Calandreli é um dos fundadores do Simpósio Nacional Conservador de Ribeirão Preto. Em seu perfil no Facebook, compartilha memes que exaltam o presidente Jair Bolsonaro. 

Katiane substituirá Ricardo Rihan, que ficou quatro meses no cargo. À frente da Secretaria de Cultura desde o último dia 7, Alvim não era afeito ao ex-titular do posto, visto como mais moderado se comparado ao grupo conservador e de religiosos que pressionam Bolsonaro por cargos na cultura. 

A renovação no quadro da subpasta acontece simultaneamente a uma outra série de nomeações na Agência Nacional do Cinema, a Ancine. Desde o último dia 19, ao menos quatro profissionais foram contratados para a entidade. 

Nos corredores da Secretaria Especial de Cultura, a leitura que se faz sobre a indicação de Gouvêa é a de que ela teria um papel fundamental na renovação do quadro, abrindo espaço para religiosos. 

Há pelo menos cinco meses, Gouvêa vem liderando um movimento de aproximação entre os integrantes da Cúpula Conservadora e o governo. Em junho, um texto publicado no site da Secretaria Especial de Cultura —antes de a subpasta migrar do Ministério da Cidadania para o de Turismo—, afirma que Gouvêa participou de uma reunião com Osmar Terra.

Os recém-nomeados

Katiane Gouvêa
Membro da Cúpula Conservadora das Américas, assumiu a Secretaria do Audiovisual. Seu nome é associado a documento que fez Bolsonaro cogitar extinguir a Ancine. Em reunião, defendeu a ‘valorização do belo e da arte clássica’

Reynaldo Campanatti Pereira
O novo secretário da Economia Criativa é doutor em história econômica pela USP e professor de ensino superior. Paulista, foi candidato a deputado federal pelo Patriota, mas não foi eleito

José Paulo Soares Martins
Após liderar a secretaria de Fomento e Incentivo à Cultura, assume como secretário especial adjunto da Cultura. Entrou para o governo na gestão Temer. É ex-diretor do Instituto Gerdau e da Fundação Iberê Camargo

Sérgio Nascimento de Camargo
‘Negro de direita, contrário ao vitimismo e ao politicamente correto’, como ele se define em seu perfil nas redes sociais, é o novo presidente da Fundação Palmares, responsável por promover a cultura de matriz africana

Camilo Calandreli
À frente da Secretaria de Fomento e Incentivo à Cultura, se define como cristão, conservador e
seguidor de Olavo de Carvalho. É formado em música pela USP e já disse que a Lei Rouanet era usada pelo ‘marxismo cultural’

Os que já foram empossados

Roberto Alvim
Nomeado como secretário da Cultura, subpasta que substituiu o ministério extinto, o diretor teatral chegou a chamar a atriz Fernanda Montenegro de ‘sórdida’ e convocou, nas redes sociais, ‘profissionais conservadores’ para ‘criar uma máquina de guerra cultural’

Edilásio Barra
Conhecido como Tutuca, o apresentador, pastor e colunista social chegou a ser cogitado para assumir a Secretaria do Audiovisual, mas assumiu a Superintendência de Desenvolvimento Econômico da Ancine, com a tarefa de gerir os recursos do Fundo Setorial do Audiovisual

Letícia Dornelles
A roteirista e atriz assumiu a presidência da Fundação Casa de Rui Barbosa, responsável por manter acervo de intelectuais e escritores de destaque no país, e foi criticada por não ter perfil acadêmico nem ter sido indicada pelos funcionários do órgão

Erramos: o texto foi alterado

Uma versão anterior deste texto afirmava que Janicia Ribeiro Silva é a nova responsável pela Secretaria de Diversidade Sexual. Ela está à frente da Secretaria de Diversidade Cultural.

Dante Mantovani é doutor em estudos da linguagem pela Universidade Estadual de Londrina e não em música. O texto foi corrigido.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.