Descrição de chapéu Livros

Jabuti premia Fernanda Young e escolhe 'Uma História da Desigualdade' como melhor livro do ano

Na categoria romance, o vencedor foi 'O Pai da Menina Morta', de Tiago Ferro, e a autora homenageada desta edição foi Conceição Evaristo

São Paulo

Surpresa entre os presentes, que esperavam em sua maioria um escolhido entre os livros de ficção, "Uma História de Desigualdade - A Concentração de Renda entre os Ricos no Brasil 1926 - 2013" foi eleito o melhor do ano na premiação do Jabuti, que ocorreu na noite desta quinta-feira (28), em São Paulo.

A obra de Pedro H. G. Ferreira de Souza foi a tese de doutorado do autor e se debruça sobre a história econômica do Brasil para analisar a desigualdade de renda no país.

Outro dos principais prêmios da noite foi o Jabuti póstumo para Fernanda Young, por "Pos-F: Para Além do Masculino e do Feminino". Young morreu em agosto deste ano e foi representada por sua filha no palco.

Já na categoria romance, o vencedor foi "O Pai da Menina Morta", de Tiago Ferro, lançado pela Todavia. Ganhador também do prêmio São Paulo de Literatura deste ano na categoria para autores estreantes, o livro deixou para trás obras de Cristóvão Tezza, de Ana Paula Maia, de Martha Batalha e de Alexandre Vidal Porto.

Pedro H. G. Ferreira de Souza, autor de 'Uma História da Desigualdade', melhor livro do ano no prêmio Jabuti
Pedro H. G. Ferreira de Souza, autor de 'Uma História da Desigualdade', melhor livro do ano no prêmio Jabuti - Divulgação

Na companhia de Souza, premiado com o troféu de melhor livro do ano e na categoria humanidades, a autora mais vencedora da noite foi Lúcia Hiratsuka, que levou duas estatuetas: como melhor livro juvenil por "Histórias Guardadas Pelo Rio" e melhor ilustração por "Chão de Peixes".

Entre as biografias, "Jorge Amado", de Joselia Aguiar, foi escolhida vencedora. Já entre as obras de poesia, a eleita foi "Nuvens", de Hilda Machado. Nos contos, a vencedora foi Vilma Arêas com "Um Beijo por Mês".

A 61ª edição do Jabuti, principal prêmio literário brasileiro e organizado pela CBL (Câmara Brasileira do Livro), elegeu títulos em 19 categorias divididas em quatro eixos: literatura, ensaio, livro e inovação.

A diferença para o ano passado foi a divisão dos livros infantis e juvenis em duas categorias diferentes —a junção de histórias para crianças e adolescentes na mesma categoria havia ocorrido em 2018 e gerou protestos entre autores, ilustradores e editores.

A cerimônia no Auditório Ibirapuera se preocupou também em passar um recado de diversidade, sobretudo nas questões raciais. O ator Lázaro Ramos foi o apresentador, enquanto Fabiana Cozza fez uma apresentação musical. A autora homenageada desta edição foi Conceição Evaristo.

Aplaudida de pé por toda a plateia ao subir ao palco, Evaristo iniciou seu discurso agradecendo a editores, leitores e amigos. "Espero que o reconhecimento de ser a primeira escritora negra a ser homenageada pelo Jabuti não seja só a primeira. Eu quero abrir caminhos", disse. 

Nascida em Belo Horizonte, a escritora pleiteou no ano passado ocupar a cadeira que havia pertencido ao cineasta Nelson Pereira dos Santos na Academia Brasileira de Letras. A iniciativa engajou o movimento negro e gerou uma manifestação popular com duas petições online, cada uma com mais de 20 mil assinaturas, defendendo que Conceição fosse a primeira mulher negra a se tornar imortal.

CONTO

  • "Um Beijo por Mês" - Vilma Arêas (Luna Parque)

CRÔNICA

  • "Pós-F - Para Além do Masculino e do Feminino" - Fernanda Young (Leya)

HISTÓRIAS EM QUADRINHOS

  • "Jeremias: Pele" - Rafael Calça, Jefferson Costa (Panini)

INFANTIL

  • "A Avó Amarela" - Júlia Medeiros e Elisa Carareto (Oze)

JUVENIL

  • "Histórias Guardadas pelo Rio" - Lúcia Hiratsuka (SM)

POESIA

  • "Nuvens" - Hilda Machado (34)

ROMANCE

  • "O Pai da Menina Morta" - Tiago Ferro (Todavia)

ARTES

  • "Arte Popular Brasileira: Olhares Contemporâneos" - Vilma Eis, Germana Monte-Mor (Wmf Martins Fontes)

BIOGRAFIA, DOCUMENTÁRIO E REPORTAGEM

  • "Jorge Amado" - Joselia Aguiar (Todavia)

CIÊNCIAS

  • "A Caminho de Marte" - Ivair Gontijo (Sextante)

ECONOMIA CRIATIVA

  • "101 dias com ações para mudar o mundo" - Marcus Nakagawa (Labrador)

HUMANIDADES

  • "Uma História da Desigualdade" - Pedro H G Ferreira de Souza (Hucitec)

CAPA

  • "Revela-te, Chico" - Augusto Lins Soares (Bem-te-vi)

ILUSTRAÇÃO

  • "Chão de Peixes" - Lúcia Hiratsuka (pequena Zahar)

IMPRESSÃO

  • "Roberto Landell de Moura, o Precursor do Rádio" - Rodrigo Moura Visoni (Tamanduá Arte)

PROJETO GRÁFICO

  • "Clarice" - Felipe Cavalcante (Global)

TRADUÇÃO

  • "Sobre Isto" - Letícia Mei (34)

FOMENTO À LEITURA

  • Leia Para uma Crianca (Itaú Social)

LIVRO BRASILEIRO PUBLICADO NO EXTERIOR

  • "A Resistência" - Julian Fuks

LIVRO DO ANO

  • "Uma História da Desigualdade" - Pedro H G Ferreira de Souza (Hucitec) 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.