'Chef mais gato do mundo' abre quiosque peruano na praia de Ipanema

Franco Noriega também é modelo internacional e comanda o Baby Brasa no West Village, em Nova York

Rio de Janeiro

O Rio de Janeiro vai ficar mais lindo no segundo semestre deste ano, quando o “chef mais gato do mundo” inaugurar seu quiosque de comida peruana no calçadão de Ipanema. É que o peruano Franco Noriega, 30, não é apenas um cozinheiro bonitão.

Modelo internacional de marcas como Dolce & Gabbana e Jean Paul Gaultier, abriu há quatro anos seu pequeno restaurante Baby Brasa (que também batiza o quiosque) no East Village, em Nova York. O local logo ficou pequeno. Tempos depois, expandiu para uma casa com mais de cem lugares no West Village.

Mas foi em 2017, quando lançou seu canal no YouTube, que Noriega ganhou o apelido de “world’s hottest chef”. Ali, passou a ensinar receitas sem camisa, mostrando toda a exuberância do tanquinho que também exibe nas campanhas de moda.

Entre um ceviche vegano e um vinagre de maçã, passou a ser convidado para participar de programas na televisão americana, em alguns deles apenas com um avental substituindo a camiseta.

“Existe uma razão para isso tudo”, justificou Noriega ao repórter, na semana passada. “Muita gente me perguntava o que eu comia para ficar com o corpo desse jeito. Então a ideia aqui é mostrar que comendo corretamente, você pode atingir seu objetivo.”

“O canal, então, apresenta uma espécie de tutorial para seu corpo ficar como o meu”, disse. E para mostrar que era a sério, Noriega ensinou a receita de um ceviche. E, é claro, tirou a camisa. 

Enquanto prepara a inauguração do quiosque na orla carioca, que vai ficar na altura do posto 10 de Ipanema, Noriega tem feito aparições pop-up como convidado do restaurante asiático Xian. Cozinhou lá em outubro de 2019 e de novo há alguns dias.

“Devo voltar mais três vezes ao Xian, a próxima será em março”, conta ele, que faz um fim de semana bem prolongado —começa a cozinhar na quarta e segue até o domingo. O Xian fica na cobertura do Bossa Nova Mall, ao lado do aeroporto Santos Dumont, e tem vista para o Pão de Açúcar.

Sua cozinha peruana é leve (“perfeita para o calor do Rio”, ele diz), baseada em alimentos orgânicos e, conforme diz o nome do restaurante, com muita coisa feita na brasa, como as carnes e peixes. O Baby Brasa se chamou assim porque o primeiro restaurante que abriu era minúsculo, com oito lugares; o segundo seria o verdadeiro Brasa.

“Mas começou a pegar fama em Nova York e as pessoas chamavam de ‘Baby’ apenas. Então ficou assim mesmo.” Quando se mudou para o West Village, Noriega manteve o antigo, que passou a funcionar como serviço de catering para eventos.

Ele vem de uma família de donos de restaurantes no Peru, daí o salto de modelo para chef. Seus pais criaram três ou quatro cadeias de restaurantes —que venderam, hoje estão aposentados. Foi passeando com eles que Noriega veio ao Brasil pela primeira vez, quando tinha 12 ou 13 anos.

“E voltei no ano passado, para uma campanha da Gaultier com a participação da Portela. O Rio de Janeiro continua lindo.”

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.