Descrição de chapéu Artes Cênicas

Miá Mello mistura retrato humorado e terapia coletiva em peça sobre ser mãe

A atriz faz seu primeiro monólogo em 'Mãe Fora da Caixa'

São Paulo

Sentada em uma privada, uma mãe aguarda o resultado de um teste de gravidez. Esses poucos minutos de espera viram mais de uma hora no monólogo “Mãe Fora da Caixa”, de Miá Mello, que está em cartaz em São Paulo. 

A peça apresenta um retrato cru e bem-humorado da maternidade. “A história dessa mãe não é minha, mas poderia ser. Ou sua, ou dela”, diz a atriz ao entrar em cena. Baseado no livro homônimo de Thaís Vilarinho, que tem uma conta no Instagram sobre maternidade, o espetáculo é idealizado por Pablo Sanábio, adaptado pela roteirista Cláudia Gomes e dirigido por Joana Lebreiro. 

Miá vive uma mulher que tem uma filha de sete anos e, enquanto ela espera para descobrir se está grávida, começa a lembrar as dificuldades que teve com a primogênita: os enjoos “que duraram até a sala de parto”, a falta de sexo com o marido, as barulhentas festas infantis, a ausência de sono, o acúmulo de funções. A lista parece interminável.

Às vezes a voz da personagem se mistura à de Miá, que também é mãe, interferindo ativamente na história e compartilhando sua experiência. A atriz é mãe de Nina, de dez anos, e Antonio, de dois. “Quisemos deixar a linha entre ficção e real borrada”, afirma.“Há muito de mim na peça.”

Ao final de cada noite, Miá senta à beira do palco e pede que alguém da plateia compartilhe uma história. 
No ensaio aberto na véspera da estreia, Mayara se desculpa por não conter o choro e fala sobre sua mãe que, aos 20 anos, tinha três filhos e nenhum marido para ajudá-la. Ao lado, uma mulher conta o sonho de ter gêmeos, e outra fala sobre as dificuldades de ter dois recém-nascidos em casa. A peça vira mais um encontro de terapia coletiva do que um espetáculo.  

“Escuto histórias hilárias, outras vezes me emociono”, diz Miá Mello. “Claro que estamos falando de um recorte, mas as mães têm muita coisa em comum. A troca é muito valiosa porque tira um peso, alivia a angústia.” 

Após um longo período em cartaz ao lado do humorista Fábio Porchat com “Meu Passado me Condena”, Miá diz sentir os desafios de estrear sozinha no palco. “Fiquei com medo, não tinha mais ninguém”, relembra. Foram dois meses de ensaios de 12 horas, quase todos os dias e, conta, o envolvimento com o projeto trouxe muitas questões à tona.

“Refleti e vi que posso ter tido uma depressão pós-parto depois do Antonio, que é uma coisa que eu não tinha percebido”, conta a atriz, que entrou em turnê com Porchat, com apresentações todos os fins de semana, quando o filho tinha dois meses. “E é tão difícil assumir essas coisas que eu falo ‘talvez eu tenha tido’. É muito louco.”

Nina, que acompanhou a mãe durante a entrevista e assistiu ao ensaio do espetáculo, afirma que não gosta de perder nenhuma apresentação. Assim que a peça terminou, ela se levantou da poltrona, se virou para a diretora e pediu, antes de correr para atrás das cortinas: “Posso ver a minha mãe?”.

Mãe Fora da Caixa

  • Quando Sex. e sáb.: 21h. Dom.: 18h. Até 26/4.
  • Onde Teatro das Artes - av. Rebouças, 3.970, São Paulo
  • Preço R$ 80 a R$ 90
  • Elenco Miá Mello
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.