Descrição de chapéu
The New York Times

'O Coringa' pode ser a grande surpresa da noite do Globo de Ouro

Confira as previsões de cinema para a premiação, que ocorre no próximo domingo (5)

Kyle Buchanan
The New York Times

O que vai acontecer no Globo de Ouro? Parte da diversão da cerimônia é que você nunca sabe ao certo. Um ator embriagado pode fazer um discurso colorido demais para os censores da rede de TV, ou um prêmio pode ir para uma pessoa que ninguém imaginava.

Isso pode tornar um pouco difícil prever os resultados do programa de domingo, especialmente porque o Globo de Ouro é concedido pela Associação de Correspondentes Estrangeiros de Hollywood, uma excêntrica coleção de cerca de 90 jornalistas. Às vezes, os eleitores escolhem o filme mais cotado para o Oscar, mas em outras ocasiões eles decidem ao seu modo.

A disputa deste ano nas categorias de cinema apresenta muitos lugares nos quais o prêmio pode deixar sua marca. A despeito da oportunidade de distribuir bem as recompensas, com categorias separadas para melhor drama e melhor comédia ou musical, continua a haver diversas disputas equilibradas, nas quais uma vitória no Globo de Ouro poderia oferecer ao premiado a vantagem de que ele precisa para convencer alguns dos eleitores do Oscar que continuam em cima do muro. Como sempre digo, ser visto como vencedor nunca atrapalha.

Abaixo, selecionei pessoas e filmes que considero favoritos para vitórias.

Melhor atriz em um filme, drama

  • Cynthia Erivo, “Harriet”
  • Scarlett Johansson, “História de Um Casamento”
  • Saoirse Ronan, “Adoráveis Mulheres”
  • Charlize Theron, “O Escândalo”
  • Renée Zellweger, “Judy – Muito Além do Arco-Íris”

Zellweger é um dos poucos favoritos claros da noite, e largou com força no começo da temporada com seu desempenho passional como Judy Garland; ela jamais perdeu a condição de favorita ao prêmio de melhor atriz. Ainda que Johansson seja a única entre as demais candidatas a ter papel principal em um dos candidatos ao prêmio de melhor filme na categoria drama, seria uma surpresa que Zellweger perdesse —e ela não perderá.

Melhor ator em um filme de drama

  • Christian Bale, “Ford vs.Ferrari”
  • Antonio Banderas, “Dor e Glória”
  • Adam Driver, “História de um Casamento”
  • Joaquin Phoenix, “Coringa”
  • Jonathan Pryce, “Dois Papas” 

Driver não poderia estar tendo um ano melhor. Além de seus papéis principais recentes em “O Relatório” e “Star Wars: A Ascensão Skywalker”, ele ofereceu um de seus desempenhos mais comoventes em “História de um Casamento”, que conquistou mais indicações do que qualquer outro filme ao Globo de Ouro. Se o principal rival dele não fosse Phoenix, Driver venceria fácil, mas Phoenix, indicado por seis vezes ao Globo de Ouro e vencedor por “Johnny & June”, provavelmente está em vantagem por seu desempenho, muito comentado e transformador.

Melhor filme de drama

  • "1917”
  • “O Irlandês”
  • “Coringa”
  • “História de um Casamento’
  • “Dois Papas”

Se a Associação de Correspondentes Estrangeiros de Hollywood escolher “O Irlandês”, de Martin Scorsese, ou “História de um Casamento”, de Noah Baumbach, todo mundo concordará, dizendo “é, era o esperado”. Por isso é que eu acho que isso não vai acontecer! Afinal, estamos falando dos mesmos eleitores que, no ano passado, optaram por não premiar “Nasce Uma Estrela”, uma escolha perfeitamente respeitável como melhor drama, e em lugar disso selecionaram “Bohemian Rhapsody”. O Globo de Ouro não seria o que costuma ser sem um prêmio surpreendente, e acho que “Coringa” pode causar o choque da noite.

Melhor atriz em um filme de comédia ou musical

  • Awkwafina, ”A Despedida”
  • Cate Blanchett, “Cadê Você, Bernadette?”
  • Ana de Armas, “Entre Facas e Segredos”
  • Beanie Feldstein, “Fora de Série”
  • Emma Thompson, “Late Night”

O Globo de Ouro sempre fica atento ao caminho que o Oscar está tomando, e já que Awkwafina é a única candidata nessa excêntrica categoria com qualquer chance real de nomeação para o Oscar, isso deve lhe dar vantagem. Mas suas chances de vitória caíram depois que ela saiu derrotada da premiação do Screen Actors Guild Awards, e isso pode abrir caminho para uma atriz em ascensão como Armas, a protagonista de “Entre Facas e Segredos”.

Melhor ator em filme de comédia ou musical

  • Daniel Craig, “Entre Facas e Segredos”
  • Leonardo DiCaprio: “Era uma Vez... em Hollywood”
  • Taron Egerton, “Rocketman”
  • Eddie Murphy, “Meu Nome é Dolemite”

Será que essa categoria vai nos oferecer a maior surpresa do domingo? Meu cérebro me diz que DiCaprio deve receber o prêmio com facilidade: ele já foi indicado 11 vezes ao Globo de Ouro, vencendo três vezes, e a imprensa estrangeira de Hollywood gosta de contar com um astro para manter as luzes acesas a cada ano. Ainda assim, Egerton, o astro de “Rocketman”, fez campanha pelo prêmio com muito mais esforço do que seus concorrentes reticentes, e embora ele seja prejudicado por seu desempenho como Elton John vir na esteira da vitória de Rami Malek no Globo de Ouro por seu papel em “Bohemian Rhapsody” no ano passado, a disposição de Egerton de cativar os jornalistas me impressiona. DiCaprio provavelmente tem a vitória garantida, mas, se ele perder, o GIF mostrando sua reação vai ser brutal.

Melhor filme de comédia

  • “Meu Nome é Dolemite”
  • “Jojo Rabbit”
  • “Entre Facas e Segredos”
  • “Era uma Vez... em Hollywood”
  • “Rocketman”

Seus roteiros para “Pulp Fiction – Tempo de Violência” e “Django Livre” valeram a Quentin Tarantino um par de Oscars e um par de Globos de Ouro, mas ele nunca ganhou o prêmio mais alto, em qualquer das duas premiações. O Globo de Ouro vai corrigir esse deslize ao premiar “Era uma Vez... em Hollywood” como melhor comédia. O Oscar seguirá o exemplo?

Melhor atriz coadjuvante em um filme

  • Kathy Bates, “O Caso Richard Jewell”
  • Annette Bening, “O Relatório”
  • Laura Dern, “História de um Casamento”
  • Jennifer Lopez, “As Golpistas”
  • Margot Robbie, “O Escândalo”

Dern é considerada favorita ao Oscar, mas se há uma premiação na qual ela pode sair derrotada é o Globo de Ouro, que adora surpreender em suas escolhas de melhor atriz coadjuvante. Escolher Lopez seria uma boa maneira de ressaltar a presença de uma grande estrela. Também imagino se Dern, que é parte do Conselho Diretivo do Oscar, está tão associada àquela organização que os correspondentes estrangeiros de Hollywood se sentirão autorizados a seguir um caminho diferente. Por outro lado, ela ganhou quatro Globos de Ouro e foi Miss Globo de Ouro aos 15 anos de idade. A disputa será difícil.

Melhor ator coadjuvante em um filme

  • Tom Hanks, “Um Lindo Dia na Vizinhança”
  • Anthony Hopkins, “Dois Papas”
  • Al Pacino, “O Irlandês”
  • Joe Pesci, “O Irlandês”
  • Brad Pitt, “Era uma Vez... em Hollywood”

Pitt jamais conquistou um Oscar como ator, mas os eleitores do Globo de Ouro não se provaram tão difíceis de impressionar. Ele venceu nesta mesma categoria em 1996, por “O 12 Macacos”, e voltará a vencer no domingo.

Melhor diretor

  • Bong Joon Ho, “Parasita”
  • Sam Mendes, “1917”
  • Todd Phillips, “Coringa”
  • Martin Scorsese, “O Irlandês”
  • Quentin Tarantino, “Era uma Vez… em Hollywood”

A categoria será uma verdadeira disputa de gigantes, com Scorsese e Tarantino encarando Bong, um cineasta em ascensão. Scorsese já ganhou três Globos de Ouro, e Tarantino estaria conquistando seu primeiro prêmio nesta categoria. Em tese, os dois seriam apostas mais seguras do que o homem em que estou apostando: Bong, que também vejo como favorito para o Oscar de melhor diretor.

Melhor roteiro

  • Noah Baumbach, “História de um Casamento”
  • Bong Joon Ho e Jin Won Han, “Parasita”
  • Anthony McCarten, “Dois Papas”
  • Quentin Tarantino, “Era uma Vez… em Hollywood”
  • Steven Zaillian, “O Irlandês”

Baumbach não está entre os indicados a melhor diretor em parte porque “História de um Casamento” é visto mais como uma realização em termos de roteiro. Portanto, essa é a categoria perfeita para que os eleitores do Globo de Ouro o compensem, se bem que ele tenha a competição formidável de Tarantino, ganhador de dois prêmios na categoria.

Melhor filme em língua estrangeira

  • “A Despedida”
  • “Os Miseráveis”
  • “Dor e Glória”
  • “Parasita”
  • “Retrato de uma Jovem em Chamas”

Já é mais que hora de o Globo de Ouro abrir suas principais categorias de drama e musical ou comédia a filmes realizados em outros idiomas que não o inglês, mas enquanto isso “Parasita” ganhará fácil nesta categoria.

Melhor Longa de Animação

  • “Frozen 2 - Uma Aventura Congelante”
  • “Como Treinar o Seu Dragão 3”
  • “O Rei Leão”
  • “Link Perdido”
  • “Toy Story 4”

O prêmio quase sempre vai para um filme da Pixar, e ainda que “Os Incríveis 2” tenha perdido o Globo de Ouro para “Homem Aranha no Aranhaverso”, no ano passado, a estrada de “Toy Story 4” para a vitória deve ser mais fácil neste ano. Enquanto isso, vamos desfrutar da deliciosa sombra oferecida por o Globo de Ouro ter indicado “O Rei Leão” nesta categoria ainda que a Disney tenha inscrito o filme para premiações em concorrência com os filmes “live action” e não com as animações.

Melhor trilha sonora original

  • Alexandre Desplat, “Adoráveis Mulheres"
  • Hildur Gudnadottir, “Coringa”
  • Randy Newman, “História de Um Casamento”
  • Thomas Newman, “1917”
  • Daniel Pemberton, “Brooklyn – Sem Pai Nem Mãe”

Se você é parente de Randy Newman e Thomas Newman, dois primos em competição, escolher seu candidato ao Globo de Ouro pode se provar complicado. Thomas Newman parece estar em posição melhor, graças a um filme de guerra que usa sua música de maneira mais frequente, mas em minha opinião o Globo de Ouro arriscará e escolherá a trilha de Gudnadottir para “Coringa”.

Melhor Canção Original

  • “Beautiful Ghosts” (“Cats”) - Taylor Swift e Andrew Lloyd Webber
  • “I’m Gonna Love Me Again” (“Rocketman”) — Elton John e Bernie Taupin
  • “Into the Unknown” (“Frozen 2 - Uma Aventura Congelante”) — Robert Lopez e Kristen Anderson-Lopez
  • “Spirit” (“O Rei Leão”) — Beyoncé Knowles-Carter, Timothy McKenzie e Ilya Salmanzadeh
  • “Stand Up” (“Harriet”) — Joshuah Brian Campbell e Cynthia Erivo

Duas das maiores estrelas da música mundial estão concorrendo diretamente nesta categoria, Swift e Beyoncé, e as duas encaram mais um tema forte da série “Frozen” como adversário. Mas o Globo de Ouro ama a tradição —basta recordar que “Let It Go”, do primeiro “Frozen”, perdeu para uma canção do U2 cujo nome ninguém lembra. Por isso, acho que o prêmio ficará para a canção nova que John, 72, escreveu com Bernie Taupin para “Rocketman”.

 
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.